Info

Porto de Leixões bate recordes de movimento de mercadorias e de navios em abril

Porto de Leixões bate recordes de movimento de mercadorias e de navios em abril
| Norte
Porto Canal

O Porto de Leixões anunciou hoje ter alcançado em abril um novo máximo histórico mensal no movimento de mercadorias, com mais de 1,7 milhões de toneladas movimentadas, mais 30% do que no mesmo mês de 2012.Em comunicado, a Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL) adianta que "este valor supera em 105 mil toneladas o anterior recorde histórico, que tinha sido registado no mês de março de 2011".

Em abril passado, também o movimento mensal de navios registou "o valor mais alto de sempre", atingindo 2,9 milhões de toneladas GT [arqueação bruta], em resultado do crescimento da capacidade dos navios que aportam Leixões.

Em termos acumulados, o Porto de Leixões movimentou desde o início do ano 5,9 milhões de toneladas de mercadorias, mais 7% do que no período homólogo de 2012.

A APDL destaca os aumentos registados "em praticamente todos os segmentos de carga": carga geral fracionada (mais 30%), carga contentorizada (mais 5%), granéis líquidos (mais 9%) e 'roll-on/roll-off' (mais 116%).

Já o movimento de contentores em Leixões "continua com uma dinâmica de crescimento", tendo atingido nos primeiros quatro meses do ano 192 mil TEU's ('Twenty-foot Equivalent Unit', a medida standard internacional equivalente a um contentor de 20 pés), mais 6% do que no ano passado.

Até abril, as exportações por Leixões registaram um aumento de quase 13% face a igual período de 2012, com uma movimentação de cerca de 1,9 milhões de toneladas de mercadorias.

Este crescimento resulta sobretudo das exportações para a Argélia (mais 150%), Marrocos (mais 61%), EUA (mais 45%), Reino Unido (mais 44%) e França (mais 39%), enquanto entre as mercadorias exportadas se destacam os produtos refinados diversos (mais 38%), o ferro e aço (mais 15%), os produtos aromáticos (mais 12%), as bebidas (mais 21%), o papel e cartão (mais 8,5%), as máquinas e aparelhos (mais 12%) e os produtos químicos (mais 163%).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.