Info

Covid-19: Governo moçambicano diz que perda imediata na receita do Estado ultrapassa 358 ME

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Maputo, 15 abr 2020 (Lusa) - O ministro da Economia e Finanças de Moçambique, Adriano Maleiane, disse hoje que o país perdeu, "de imediato", receitas no valor de 26,4 mil milhões de meticais (358,2 milhões de euros), devido ao ajustamento orçamental provocado pela covid-19.

"De imediato, perdemos 26,4 mil milhões de meticais de receitas e precisamos de encontrar uma outra solução para esse prejuízo", declarou Adriano Maleiane.

O ministro referiu-se ao impacto do novo coronavírus nas contas públicas, quando apresentava as propostas do Plano Económico e Social (PES) e do Orçamento do Estado (OE) de 2020.

As propostas cortam a previsão do Produto Interno Bruto (PIB), de 4,0% para 2,2%, e as receitas, de 261 mil milhões de meticais (3,54 mil milhões de euros) para 235,5 mil milhões de meticais (3,2 mil milhões de euros), acrescentou o ministro da Economia e Finanças.

A despesa total está fixada em pouco mais de 345,3 mil milhões de meticais (4,7 mil milhões de euros).

Uma versão inicial das perspetivas de crescimento apontava para um PIB de 4,8%.

No caso de Moçambique, prosseguiu, o efeito do novo coronavírus vai atingir com maior severidade o setor da restauração e similares, que vai ficar em 0,0% de crescimento e indústria extrativa, com uma previsão de desempenho de apenas 1,5% contra uma projeção inicial de 4,0%.

Adriano Maleiane avançou que a agricultura também será duramente atingida, mas não quantificou o impacto.

Apesar das restrições orçamentais impostas pelo novo coronavírus, o Governo mantém o compromisso de maior dotação de recursos para as áreas sociais, disse.

Nesse sentido, as propostas do PES e do OE preveem a alocação de 20% à educação, 15% à saúde e 10% à agricultura.

O executivo vai igualmente priorizar as forças de defesa e segurança, setor de justiça e descentralização na distribuição do OE.

As propostas do PES e do OE projetam uma taxa de inflação anual de 6,6%.

O PES e o OE apresentam um défice de 109,7 mil milhões de meticais (1,49 mil milhões de euros), que serão suprimidos com recurso a crédito e donativos.

O valor de exportações de bens deverá atingir 4,4 mil milhões de dólares (quatro mil milhões de euros) e as reservas internacionais líquidas espera-se que ultrapassem 3,2 mil milhões de dólares (2,9 mil milhões de euros), uma cifra suficiente para cobrir 5,8 meses de importações.

O debate do PES e do OE termina na quinta-feira, seguindo-se a votação, sendo que a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) conta com maioria qualificada que deverá dar luz verde aos documentos.

O número de casos registados oficialmente de infeção pelo novo coronavírus em Moçambique subiu de 21 para 28, anunciou naterça-feira o Ministério da Saúde.

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África ultrapassou as 800 com mais de 15 mil casos registados em 52 países, de acordo com a mais recente atualização dos dados da pandemia naquele continente.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 124 mil mortos e infetou quase dois milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, cerca de 413.500 são considerados curados.

PMA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Pfizer atrasa entrega de vacinas na Europa para melhorar produção

O laboratório norte-americano Pfizer advertiu hoje para uma quebra "a partir da próxima semana" nas entregas das vacinas anti-covid na Europa, com vista a melhorar a sua capacidade de produção, anunciaram hoje as autoridades norueguesas.

Reino Unido suspende ligações aéreas de Portugal para travar estirpe brasileira

O Governo britânico anunciou hoje que vai suspender ligações aéreas de Portugal e Cabo Verde para Inglaterra para tentar impedir a entrada da estirpe brasileira do SARS-CoV-2, e proibiu também chegadas do Brasil e de outros países sul-americanos.

Agência europeia teme que nova variante de Covid-19 se torne incontrolável

O Centro Europeu para Controlo e Prevenção de Doenças (ECDC) teme que a nova variante do SARS-CoV-2 que apareceu no Reino Unido, até 70% mais contagiosa, seja difícil de controlar, apelando à adoção de "medidas apertadas" na Europa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Cuida de ti - três mitos do...

N'Agenda

"Eu toco porque há coisas que...