Info

Covid-19: Bombeiros de Vila Real com falta de material pedem ajuda à comunidade

Covid-19: Bombeiros de Vila Real com falta de material pedem ajuda à comunidade
| Norte
Porto Canal com Lusa

Corporações de bombeiros do distrito de Vila Real queixam-se de "uma rotura" de materiais como fatos de proteção, máscaras, luvas ou desinfetante e lançaram um pedido de ajuda à população, empresas, farmácias e clínicas da região.

Os bombeiros da Cruz Verde, em Vila Real, lançaram esta semana, através das redes sociais, um pedido de ajuda à população, salientando que "necessitam de máscaras, luvas, fatos de proteção, gel desinfetante, álcool e água" para fazer face à pandemia de covid-19.

O comandante Vitorino Cardoso sublinhou a "grande dificuldade" que a corporação está a ter em arranjar no mercado material, de acordo com as normas e o que está protocolado, para "poder socorrer quem pede ajuda neste momento crítico".

"Temos uma dificuldade enorme em conseguirmos adquirir mais material porque o mercado não tem, não faço ideia do que é que passa. Por isso é que fizemos este apelo à população", afirmou à agência Lusa.

O comandante explicou que foram facultados seis 'kits' à corporação, via Centro Distrital de Operações de Socorro de Vila Real, dos quais só já resta um, e a associação humanitária adquiriu também algum material.

"Estamos a precaver e a tentar antecipar todo este cenário que está à nossa volta. Temos material de retaguarda, mas é insuficiente", referiu.

Na opinião de Vitorino Cardoso, os bombeiros estão na "linha da frente deste combate e correm o risco de estarem desprovidos de material, de armas", que garantam a própria segurança e a segurança de quem lhes pede ajuda.

Esta corporação possui 120 elementos que estão a cumprir o plano de contingência e a trabalhar de forma alternada.

O comandante Bruno Girão dos bombeiros de Sanfins do Douro, concelho de Alijó, fala numa "rotura de material" e elencou as "dificuldades em adquirir" e nos "preços absurdos" que são pedidos pelos fatos de proteção ou até pelo gel desinfetante.

Também a corporação, que possui um quadro ativo de 30 elementos, pediu a "todas as clínicas, empresas, farmácias e público em geral, que caso tenham máscaras, óculos de proteção e luvas a mais, e caso as possam dispensar que deixem no quartel".

No repto deixado nas redes sociais, os bombeiros referem que o "material está a esgotar a uma velocidade anormal devido à situação atual".

"Conseguimos adquirir hoje, pela associação, 15 fatos. Só que isso não é suficiente, porque hoje em qualquer caso de infeção respiratória ou constipação, nós temos que atuar como se fosse o vírus. A prioridade é manter o pessoal em segurança", frisou Bruno Girão.

O responsável considerou que, nesta matéria, o "Governo está a atuar muito devagar".

"Sem equipamento não se pode ir para uma guerra destas", sublinhou.

Rui Lopes, da Federação dos Bombeiros do Distrito de Vila Real e comandante da corporação do Peso da Régua, disse hoje à agência Lusa que, neste momento, não há "nenhuma associação que esteja parada por falta de material".

No entanto, ressalvou que se as coisas "continuaram a evoluir, pode acontecer".

"Há associações que, efetivamente, já têm um número reduzido de equipamento. Para mim, comandante dos bombeiros da Régua, todas as saídas são já consideradas suspeitas e, por isso, o meu pessoal já sai com equipamento completo", adiantou.

O responsável referiu que está prevista, "já para esta semana, a entrega de material" por parte das autoridade nacionais.

Rui Lopes sublinhou ainda que, neste momento, os serviços realizados pelas corporações diminuíram, mantendo-se as situações de emergência, bem como os transportes para hemodiálise e consultas e tratamentos de doentes oncológicos.

No caso da corporação da Régua a diminuição dos serviços ronda "os 80%".

A Comissão Distrital de Proteção Civil (CDPC) de Vila Real decidiu na segunda-feira ativar o plano de emergência distrital e proteção civil devido à pandemia da covid-19 para uma "melhor coordenação" e capacidade resposta a nível de equipamento e material.

Segundo divulgou hoje o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, Portugal regista 29 mortos por covid-19 e 2.362 infetados.

+ notícias: Norte

Covid-19: Centro de testes ao novo coronavirus já está em funcionamento em Gondomar

No Pavilhão Multiusos de Gondomar já está em funcionamento o centro de testes à Covid-19. Entre as medidas de contenção levadas a cabo pela autarquia está também a disponibilização de 800 tablets a alunos do concelho e acesso à Internet.

Covid-19: Rede solidária faz nascer hospital de retaguarda em Viana do Castelo

Uma semana bastou a cerca de uma centena de voluntários de Viana do Castelo para pôr de pé um hospital preparado para receber doentes de covid-19, em recuperação, através de uma rede de solidariedade que mobilizou várias freguesias.

Covid-19: Inquérito do ISPUP indica 6 novos testes diários por cada mil pessoas

Um inquérito do Instituto Superior de Saúde Pública (ISPUP) junto de mais de 6.000 portugueses concluiu que têm sido realizados diariamente cerca de seis testes de covid-19 por cada mil pessoas e diagnosticado "perto de três novos casos".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.