Info

Ryanair não prevê operar voos em abril e maio

Ryanair não prevê operar voos em abril e maio
| Economia
Porto Canal com Lusa

A companhia aérea irlandesa 'low cost' Ryanair anunciou hoje que não prevê operar voos durante os próximos meses de abril e maio, devido às restrições impostas para travar a pandemia da covid-19.

A transportadora também recordou que a partir da meia-noite de hoje quase toda a sua frota de aviões ficará em terra, se bem que há uns dias precisou que manterá de momento um número reduzido de voos entre a Irlanda e o Reino Unido.

"Agora mesmo, não prevemos operar voos durante os meses de abril e maio, mas isso depende claramente das recomendações do Governo, e nós cumprimos sempre estas instruções", explicou o presidente executivo (CEO - Chief Executive fficer) da Ryanair, Michael O'Leary.

O CEO voltou a pôr à disposição de "todos os Governos" os aviões da Ryanair para efetuar "repatriamentos" e "voos essenciais" para o "transporte de medicamentos, equipas de proteção pessoal e, se necessário, de alimentos de emergência".

O'Leary reconheceu que "ninguém sabe" quanto tempo durará o "confinamento" provocado pela pandemia, se bem que "a experiência da China" sugira que "o período de contenção e de redução" da propagação da pandemia poderia ser "de três meses".

"Já que as fronteiras da Europa estão congestionadas ou fechadas, é vital que a Ryanair desempenhe o seu papel para manter o transporte de remédios e alimentos essenciais", sublinhou O'Leary, que assegurou que "todos estes voos" operam "com a máxima segurança", com "desinfeções diárias".

Neste sentido, lamentou que a companhia tenha reduzido "os trabalhadores de escritório" em 50% para acatar as medidas de "distanciamento social", pelo que pediu "paciência" aos clientes que tentam pôr-se em contacto com o serviço de apoio.

"Receberão um correio eletrónico no devido tempo. Por favor, não liguem para as nossas linhas de telefone, já que dada a falta de pessoal só se podem atender os casos mais urgentes, que durante os próximos dias serão os voos de resgate", adiantou O'Leary.

+ notícias: Economia

Covid-19: Inquérito da AHRESP revela que 30% de restaurante e hotéis não pagaram salários em março

Mais de 500 hotéis e restaurantes não conseguiram pagar salários no mês de março. Cerca de mil vão mesmo ter de avançar para 'lay-off'. A Associação de Hotelaria e Restauração pede medidas urgentes para o setor.

Covid-19: Governo decreta suspensão total de prestações para habitação por seis meses

O Governo aprovou medidas para os bancos ajudarem as famílias com as prestações da casa e outros créditos. Veja em detalhe no que consistem essas medidas.

Líder parlamente do Bloco de Esquerda afirma que o Estado deve salvar a TAP e passar a mandar como proprietário

Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do Bloco de Esquerda, afirma que o Estado deve salvar a TAP porque é uma empresa estratégica para o país e se assim o fizer passa a mandar como proprietário.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.