Info

Covid-19: Irão recusa ajuda dos Estados Unidos da América para combater pandemia

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Redação, 22 mar 2020 (lusa) - O Guia Supremo do Irão recusou hoje a ajuda dos Estados Unidos da América no combate à pandemia de covid-19, justificando a posição com uma teoria da conspiração de que o vírus poderá ter sido fabricado pelos norte-americanos.

A recusa do 'ayatollh' Ali Khamenei surge num momento em que o Irão enfrenta sanções dos Estados Unidos que impedem o país de vender o seu petróleo e aceder aos mercados financeiros internacionais.

Mas, apesar de se terem somado nos últimos dias críticas das autoridades civis iranianas a essas sanções, o Guia Supremo do Irão optou por se apoiar na teoria da conspiração lançada por algumas autoridades chinesas, para recusar a ajuda norte-americana.

"Não sei quão real é essa acusação [dos chineses], mas existe. Quem poderia, em plena consciência, confiar na ajuda?", disse o 'ayatollh' Ali Khamenei, citado pela Associated Press, acrescentando que possivelmente seria "uma forma de propagar o vírus".

O Guia Supremo do Irão alegou ainda, sem apresentar qualquer prova, que o vírus foi fabricado "especificamente para o Irão, utilizando dados genéticos dos iranianos obtidos por diferentes meios".

"Podem querer enviar médios e especialistas, talvez queiram ver o efeito do veneno que produziram", acrescentou.

Não há qualquer prova científica que sustente as alegações do Guia Supremo do Irão.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 308 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 13.400 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 4.825 mortos em 53.578 casos. Segundo as autoridades italianas, 6.062 dos infetados já estão curados.

Os países mais afetados a seguir à Itália e à China são a Espanha, com 1.720 mortos em 28.572 infeções, o Irão, com 1.556 mortes num total de 20.610 casos, a França, com 562 mortes (14.459 casos), e os Estados Unidos, com 340 mortes (26.747 casos).

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

 

VAM // JPS

 Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Europa acelera desconfinamento

A Europa acelera hoje o desconfinamento pós-pandemia, com os países nórdicos a reabrir os bares e o Reino Unido, o segundo país do mundo com mais mortos, depois dos Estados Unidos, a reabrir as escolas primárias.

Covid-19: Trump diz estar a avaliar retomar parcialmente contribuição para a OMS

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que está a considerar retomar parcialmente a contribuição dos Estados Unidos para a Organização Mundial de Saúde (OMS), que suspendeu em abril.

Pelo menos 10 mortos em naufrágio no norte de Moçambique

Maputo, 03 jun 2020 (Lusa) - Pelo menos 10 pessoas morreram na sequência do naufrágio de uma embarcação na madrugada de hoje nas proximidades de Chuiba, no litoral da capital provincial de Cabo Delgado, norte de Moçambique, disse à Lusa fonte da administração local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.