Info

PAN quer que deputados paguem para ficar com ofertas superiores a 150 euros

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 jan 2020 (Lusa) -- O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) quer que os deputados paguem o excesso, além de 150 euros, para ficar com ofertas superiores a esse valor e fez hoje essa proposta na comissão parlamentar de Transparência.

Esta é uma das sete propostas de alteração do PAN, divulgadas em comunicado, aos critérios de ofertas e hospitalidades (viagens e estadias) dos deputados que vão ser discutidos e votados, na quarta-feira, na comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados, na Assembleia da República (AR).

O Código de Conduta dos deputados, aprovado ainda em 2019, determina que os deputados só podem receber ofertas até 150 euros, sendo obrigados a entregar as de valor superior à AR, e a comissão de Transparência elaborou uma série de critérios para a sua aplicação, que têm consenso do PS, PSD e BE.

Na reunião da semana passada, o PAN pediu o adiamento da votação dos critérios para se poderem apresentar propostas de alteração.

Hoje, o deputado André Silva apresentou sete alterações, nomeadamente quanto ao valor a pagar pelo deputado se quiser ficar com uma oferta acima de 150 se a secretaria-geral da Assembleia entender ser possível.

Na prática, se um deputado receber uma oferta de 200 euros, para ficar com ela terá de pagar 50 euros -- o excedente de 150 para 200 euros -- tendo o PAN ido inspirar-se à prática no Reino Unido.

"Se a lei considerou, e bem, que não é ético receber ofertas de valor superior a 150 euros, não faz sentido que possam ficar sem mais e a título gratuito com o deputado", lê-se no comunicado do PAN.

Outras das ideias é que, mesmo de valor inferior a 150 euros, o deputado pode entregar as ofertas à secretaria-geral da AR e que se estabeleça um prazo de 30 dias para apresentar as prendas nos serviços do parlamento.

O PAN propõe uma clarificação dos critérios para que o registo do ofertas seja publicado no "site" da AR, devendo identificar a data e as circunstâncias da oferta e que estejam previstos mecanismos de acompanhamento e monitorização do cumprimento das regras.

NS // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Agência Portuguesa do Ambiente nega processo de avaliação de impacto ambiental para a exploração de lítio

Matos Fernandes desvaloriza as críticas do PAN sobre a exploração de lítio em Montalegre. O Ministro do Ambiente considera que o Estudo de Impacte Ambiental é ainda muito primário.

CDS/Congresso: Novo líder afirma "papel insubstituível" para "combater as esquerdas"

O novo líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, agradeceu hoje aos militantes por terem ajudado o partido a fazer "prova de vida", que tem "um papel insubstituível" em Portugal para "combater as esquerdas".

"Há violência policial racista e infiltração da extrema direita nas forças de segurança."

Separando as duas coisas, Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda, diz que "é obvio que têm existido problemas de violência racista na policia e que há uma infiltração de forças organizadas de extrema direita, ligadas à criminalidade, nas forças de segurança".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.