Info

Meo vende participação de 25% na empresa de torres Omtel à Cellnex por 200 ME

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 02 jan 2020 - A Altice Europe anunciou hoje que a subsidiária Meo vendeu os 25% que detinha na empresa de torres Omtel ao grupo espanhol Cellnex por cerca de 200 milhões de euros.

A venda da posição da Meo, de 25%, faz parte de uma transação em que a Cellnex adquiriu a totalidade da Omtel, a primeira empresa independente de torres de telecomunicações em Portugal, com cerca de 3.000 torres no país.

Em comunicado, a Altice Europe refere que com esta transação inicia "uma parceria de longo prazo com a Cellnex em Portugal".

Em setembro de 2018, na altura da venda da Omtel a um consórcio que incluia a Morgan Stanley Infrastructure Partners e Horizon Equity Partners, a Meo reinvestiu 108,8 milhões de euros para uma participação de 25%.

Também em comunicado, a Cellnex anuncia a chegada a acordo com a Altice Europe e a Belmont Infra Holding's para a compra da totalidade da Omtel por um valor equivalente da empresa de 800 milhões de euros.

"A aquisição contempla igualmente a instalação de 400 novas infraestruturas nos próximos quatro anos", refere a empresa espanhola.

"Tendo em conta a evolução do mercado português e o desenvolvimento da rede 5G, os planos de crescimento da Cellnex estimam que o programa de construção de novas infraestruturas (BTS) poderá ser atualizado com a construção de 350 infraestruturas adicionais até 2027. O investimento estimado para o plano de construção (contratado e previsto) é de 140 milhões de euros", acrescenta o grupo.

Portugal passa a ser o oitavo país da Europa onde a Cellnex opera.

"A Omtel gere um atrativo portefólio de infraestruturas que representam aproximadamente 25% das torres de telecomunicações do mercado português. Os contratos da Omtel com os seus clientes têm uma duração média de 20 anos com períodos adicionais de cinco anos, sendo o principal a Portugal Telecom (Meo)", refere a Cellnex, no comunicado.

ALU // JNM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Fectrans aponta inconformidades na aplicação do contrato coletivo e aciona formas de luta

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) apontou hoje inconformidades na aplicação do contrato coletivo do setor e do acordo de cargas e descargas, pedindo a intervenção da tutela e tendo já em vista formas de luta.

Portugal vendeu cerca de 296 milhões de litros de vinho em 2019

As exportações de vinho do Porto cresceram e invertem assim os 20 anos de descidas. Os aumentos refletem-se em todo o setor vitivinícola, que em 2019, atingiu um novo máximo histórico.

Covid-19: Setores têxtil, vestuário e calçado "preocupados" com prolongamento da crise

Os setores têxtil, vestuário e calçado estão "preocupados" com o eventual impacto de um prolongamento da crise do coronavírus, admitindo que poderá levar a quebras no fornecimento de matérias-primas e de encomendas provenientes da Ásia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.