ESPECIAL CANDIDATURAS
CLIQUE AQUI PARA VER MAIS
Projeto Parceria
Porto Canal
Info

Motoristas de transporte de passageiros do Norte admitem prolongar greve

| Norte
Porto Canal com Lusa

Os motoristas do setor privado de transporte de passageiros do Norte que começaram hoje uma greve que se prolonga durante todo o mês admitem manter a paralisação em "janeiro e fevereiro" se não houver acordo com a ANTROP.

A greve que arrancou às 00:00 e se prolonga até às 24:00 de 01 de janeiro, é para ser feita às folgas e feriados, assim como nos restantes dias às duas primeiras e últimas horas de cada dia, explicou José Manuel Silva, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos do Norte (STRUN).

Em declarações à Lusa, aquele responsável explicou, contudo, que ainda não é possível fazer um balanço do impacto deste primeiro de greve, uma vez que, nesta primeira fase os trabalhadores "estão a recusar-se a trabalhar as folgas".

O impacto, salientou José Manuel Silva, sentir-se à medida que os trabalhadores avançarem para a paralisação às duas primeiras e últimas horas de cada dia.

"Os trabalhadores vão avaliar, a cada dia, os horários em que a greve tenha um maior impacto", acrescentou, lembrando que esta paralisação tem a duração de um mês.

À Lusa, o dirigente admitiu ainda que a greve pode prolongar-se pelos meses de janeiro e fevereiro se a Associação Nacional de Transportes de Passageiros (ANTROP) não chegar acordo para o pagamento dos retroativos.

No dia 20 de novembro, o STRUN decidiu manter a greve agendada para todo o mês de dezembro, depois de terem falhado novamente as negociações com a ANTROP que, nesse mesmo dia, voltou a propor o pagamento de dois meses de retroativos.

A proposta foi mais rejeitada pelo sindicato que reclama o pagamento de 300 euros, "30 euros por mês, desde fevereiro, mais o subsídio de férias".

No dia anterior, numa reação à convocação da greve, o presidente da ANTROP, Luís Cabaço Martins, defendia que aceitar este pagamento seria desrespeitar os outros sindicatos, mas admitia, "no limite" uma solução de compromisso, como por exemplo o pagamento de um mês de retroativos.

"Não fazia sentido agora pagar os retroativos desde fevereiro quando tiveram a oportunidade de assinar o acordo e não o fizeram", declarou Luís Cabaço Martins.

"Esta greve é absurda. É um sindicato que rejeita aumentos salariais. É ridículo", referia à data, garantindo não ser verdade que a ANTROP faltou ao acordado, como acusa o STRUN.

Num comunicado para explicar as razões que levaram o STRUN a manter a greve, o sindicato refere que, no dia 09 de novembro, uma reunião onde foi possível chegar a um consenso em quase todas as matérias, a ANTROP veio "dar o dito por não dito no que diz respeito aos retroativos a atribuir aos trabalhadores".

No mesmo documento, o STRUN adianta que inicialmente a ANTROP afirmou que, caso chegassem a acordo, "aplicaria os retroativos a todos os associados desde fevereiro", mas, mais tarde "veio dizer que apenas paga a partir da assinatura do acordo".

+ notícias: Norte

Centro Social em Vila Nova de Famalicão com seis a 10 infetados com Covid-19 suspende valências

O Centro Social Paroquial de Ribeirão, em Vila Nova de Famalicão, decidiu suspender a atividade de algumas das suas valências, depois de “entre seis a dez” funcionários terem acusado positivo para a covid-19, confirmou esta quinta-feira o Porto Canal junto da instituição.

Idoso morreu na sequência do despiste do trator que conduzia em Barcelos

Um homem com cerca de 90 anos morreu hoje na sequência do despiste de um trator que conduzia em Parque, Barcelos, disse fonte dos bombeiros.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.