Info

Governo português considera "inaceitável" proposta finlandesa do orçamento da UE - MNE

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 02 dez 2019 (Lusa) - O Governo português considera "inaceitável" a proposta da presidência finlandesa para o Quadro Financeiro Plurianual (QFP) 2021-27, disse hoje à agência Lusa o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Contactado pela Lusa, o ministro transmitiu a posição do Governo português sobre esta matéria, e sublinhou que esta proposta da presidência finlandesa "continua a não ser uma base de trabalho aceitável".

A proposta da presidência finlandesa para o QFP 2021-27, assenta numa contribuição nacional de 1,07% do rendimento nacional bruto (RNB) de cada Estado-membro, enquanto a da Comissão Europeia é de 1,11% RNB, e do Parlamento Europeu 1,3% RNB.

A UE começou a negociar o seu orçamento para o período 2021-27 tendo como base uma proposta da presidência finlandesa -- que preside neste semestre aos 28 -- e que prevê despesas no valor global de 1,087 biliões de euros, 48.000 milhões abaixo do plano inicial da Comissão Europeia.

O primeiro-ministro português, António Costa, já considerou igualmente, em declarações à agência Lusa, que a proposta da presidência finlandesa se trata de um "erro grave", defendendo a sua rejeição.

"A proposta da Presidência finlandesa para o QFP 2021-27 é um erro grave. Em vez de procurar uma aproximação entre a proposta da Comissão (1,11% RNB) e do Parlamento Europeu (1,3% RNB), em vez de se aproximar da posição da maioria dos Estados-membros é uma proposta de confronto com a maioria no Conselho e de conflito institucional com o Parlamento Europeu", defende António Costa.

"Em suma, tudo o que a UE não precisava. Deve, por isso, ser claramente rejeitada", sustenta o chefe do Governo português.

AG (EL) // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Ministra anuncia reforço de 8.400 profissionais de saúde em 2020 e 2021

A ministra da Saúde, Marta Temido, anunciou hoje um reforço de até 8.400 profissionais de saúde, em 2020 e 2021, distribuídos por todos os grupos profissionais.

António Costa espera "estar cá" para a regionalização, na próxima legislatura

O primeiro-ministro, António Costa, remeteu hoje para a próxima legislatura um eventual referendo para uma regionalização e disse esperar ainda "estar cá" nessa altura, em resposta a perguntas da líder parlamentar do CDS.

Livre não sanciona Joacine, mas condena declarações da deputada

O partido Livre decidiu não aplicar qualquer sanção disciplinar à sua deputada única devido à polémica abstenção num voto no parlamento sobre uma investida israelita na Faixa de Gaza, mas lamentou as declarações públicas de Joacine Moreira.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.