Info

Dias do Desassossego abrem com João Afonso a cantar poetas de língua portuguesa

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 nov 2019 (Lusa) -- Um concerto de João Afonso a cantar poetas de língua portuguesa abre no próximo sábado os Dias do Desassossego'19, em Lisboa, num programa que traz como novidades uma conferência internacional sobre livros infantis e a estreia de um documentário.

O programa da iniciativa Dias do Desassossego, que decorre entre os dias 16 e 30 de novembro, que coincidem com a data de nascimento de José Saramago e a da morte de Fernando Pessoa, inclui ainda passeios pela cidade, concertos, uma oficina para os mais novos, leitura de poemas e prosa, e conversas, anunciou a Casa Fernando Pessoa.

A iniciativa é organizada pela Casa Fernando Pessoa e pela Fundação José Saramago e é em torno destas duas casas que anualmente se organizam atividades dedicadas à literatura e aos livros à volta dos dois escritores, mas por a Casa Fernando Pessoa estar encerrada para obras de remodelação, este ano os Dias do Desassossego acontecem na Fundação e em vários lugares e ruas de Lisboa.

Logo na abertura, João Afonso canta poetas de língua portuguesa, na Fundação José Saramago, celebrando o aniversário do escritor, num concerto que dá voz e música à poesia de poetas como Fernando Pessoa, José Afonso, Camilo Pessanha, Mia Couto e José Eduardo Agualusa, com as guitarras e a colaboração vocal de Miguel Fevereiro e António Pinto.

No dia 19, a Fundação Calouste Gulbenkian recebe a conferência internacional "Cada história conta", sobre inclusão e livros para crianças e jovens, organizada pelo Acesso Cultura, na qual profissionais do livro, leitores e educadores são convidados a debater a importância de cada história na vida de todos.

Dois dias depois, o professor e investigador Pedro Eiras, autor de "Cartas reencontradas de Fernando Pessoa a Mário de Sá-Carneiro", vai falar sobre Mário de Sá-Carneiro, "poeta na biblioteca particular de Fernando Pessoa", tendo por base a relação e interesse que os dois poetas tinham na obra um do outro, e na sua troca de cartas e textos.

No dia 22 de novembro, Susana Moreira Marques e os dois convidados António Pinto Ribeiro e Margarida Vale do Gato conversam sobre "leitores feitos de livros", contando quais foram os livros que os formaram enquanto leitores, aqueles que sempre os acompanharam e aqueles a que sempre voltam.

"O que será" é uma oficina para crianças a partir dos seis anos, que decorre na manhã de dia 23, no Museu do Aljube, onde a ilustradora Ana Biscaia vai responder de lápis e pincéis nas mãos, com as crianças por perto, às questões: "O que é uma ilustração?", "Pode ser música? Pode ter heróis? Princesas? Reis? Juízes?".

"A oficina de ilustração é um espaço de experimentação plástica, é também um espaço de invenção, a partir do conceito de assemblage e construção", revela Ana Biscaia, acrescentando que, a partir de uma música de Chico Buarque, vão contar uma história fazendo uso de vários materiais em três dimensões.

No mesmo dia à tarde, decorre na Fundação José Saramago a sessão de escuta do documentário sonoro "Puzzle de fronteiras", de André Cunha e Laura Romero, que é uma viagem sonora através de múltiplas fronteiras em redor da Catalunha e das suas várias raias, depois dos acontecimentos do outono de 2017.

Reportagem documental, criação sonora, quase-ensaio: um caleidoscópio multilingue para dar voz a algumas das personagens que compõem este território ibérico e europeu, num momento talvez tão impossível de definir como a própria palavra "fronteira". Como se fôssemos ao cinema, escutamos este filme radiofónico estreado no início de 2019 no Longueur d'ondes, um dos maiores festivais de rádio do mundo, revela a Casa Fernando Pessoa.

À noite, ainda na Fundação José Saramago, o concerto "A biblioteca dos músicos" convida quem cria a levar a estante de casa para a estante de palco, mostrando como o que leu pode estar no que se faz ouvir.

Rita Maria, na voz, Mário Franco, no contrabaixo e baixo elétrico, e Luís Figueiredo, no piano, teclados e percussão, apresentam este concerto, com dois temas inéditos: um sobre Saramago e outro motivado por Pessoa.

No dia 24 de novembro, o cineasta João Botelho -- que já traduziu em imagens textos de Fernando Pessoa/Bernardo Soares e José Saramago - conduz um passeio, com partida do Jardim do Príncipe Real, pelos locais que associa a estes dois escritores que viveram e circularam na cidade de Lisboa.

O realizador de "Conversa Acabada", sobre a amizade de Pessoa e Mário de Sá Carneiro, e "Filme do Desassossego", sobre Bernardo Soares, rodou este ano "O Ano da Morte de Ricardo Reis", a partir do romance homónimo de Saramago, que se encontra em fase de pós-produção.

Na Biblioteca Palácio Galveias, as atrizes Cristina Carvalhal, Nádia Iracema e Sara Carinhas vão ler textos de Maria Velho da Costa, numa iniciativa com o título-provocação "Meninas Exemplares", retirado da obra "Casas Pardas".

O último dia dos Dias do Desassossego fica marcado pelo percurso "Quando vejo esta Lisboa", que parte do Largo de São Carlos, em que a equipa educativa da Casa Fernando Pessoa percorre várias ruas da Baixa e do Chiado, mostrando as lojas, as casas, os cafés e outro lugares que fizeram parte do quotidiano de Pessoa.

A encerrar o programa, a Igreja de Santa Isabel vai acolher uma sessão de leituras de poesia contemporânea em diálogo com Fernando Pessoa, intitulada "Pessoa Ressoa".

A leitura dos poemas, selecionados por Joana Matos Frias, caberá aos atores Ivo Canelas e Luísa Cruz, acompanhados pelo acordeão de João Barradas.

AL // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Despiste de carrinha de equipa de futebol na Guarda provoca um ferido grave

O despiste em Alvendre, concelho da Guarda, de uma carrinha que transportava parte da equipa de futebol sénior de Aguiar da Beira provocou oito feridos, um dos quais grave, afirmou fonte do Comando Territorial da GNR.

Ministro da Educação considera que as Pousadas de Juventude têm sido resposta à falta de residências de estudantes

O ministro da Educação considera que as Pousadas de Juventude têm sido uma resposta constante à falta de residências estudantis em algumas zonas do país e que são um "instrumento de política pública determinante" para a mobilidade juvenil.

Marta Temido reconhece dificuldades no orçamento do Serviço Nacional de Saúde

A ministra da Saúde reconheceu esta sexta-feira as dificuldades no orçamento do Serviço Nacional de Saúde no seguimento do relatório do Conselho de Finanças Públicas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...

N'Agenda

"Gosto de estar a par do rap que...