Info

Despiste de automóvel no centro do Porto mata condutor e peão

Despiste de automóvel no centro do Porto mata condutor e peão
| Norte
Porto Canal com Lusa

O despiste de um automóvel ocorrido na manhã deste sábado no centro do Porto provocou a morte do condutor e de uma pessoa que seguia no passeio e que foi colhida pela viatura e projetada contra uma habitação, apurou o Porto Canal junto das autoridades.

A viatura em despiste acabou por embater e destruir parcialmente a habitação que apenas tinha uma moradora de 90 anos, que não sofreu qualquer ferimentos, pois estava no primeiro andar. Esta mesma moradora foi realojada para casa de familiares porque a casa ficou sem condições de habitabilidade, mas sem risco de ruir.

A PSP e o Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto disseram desconhecer as causas do acidente, bem como a idade das vítimas mortais. O condutor do carro ainda apresentava sinais vitais à chegada das autoridades médicas mas acabou por falecer no local.

O acidente registou-se às 08h24 no entroncamento das ruas Morgado de Mateus e Visconde de Bóbeda, na freguesia urbana do Bonfim, zona oriental do Porto.

+ notícias: Norte

Remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova "vai finalmente avançar"

A remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova, Gondomar, "vai finalmente avançar", disse hoje o presidente da câmara local, Marco Martins, revelando que o visto do Tribunal de Contas (TdC) que faltava chegou "esta semana".

Urgência noturna gastroenterologia de Braga encerrada. Ordem dos Médicos considera "inaceitável"

A urgência noturna de gastroenterologia do Hospital de Braga foi encerrada, uma situação que a direção diz ser "temporária", mas que a Ordem dos Médicos (OM) classificou de "inaceitável" por "aumentar a pressão" dos centros hospitalares do Porto.

Tribunal declara a insolvência da Cervejaria Galiza no Porto

O Tribunal de Comércio de Vila Nova de Gaia declarou a insolvência da Cervejaria Galiza, no Porto, requerida por um dos credores por dívida de quase 12.000 euros, e deu 30 dias para a reclamação de créditos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.