Info

Guiné-Bissau: CEDEAO reforça força militar e adverte PR contra "golpe de Estado"

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Niamey, 08 nov 2019 (Lusa) -- A CEDEAO decidiu hoje reforçar a força militar na Guiné-Bissau e advertiu o Presidente de que qualquer tentativa de usar as forças armadas para impor um ato ilegal será "considerada um golpe de Estado".

No comunicado final da cimeira extraordinária realizada hoje em Niamey, no Níger, os chefes de Estado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) decidiram "reforçar a Ecomib para permitir fazer face aos desafios que se colocam antes, durante e depois das eleições, nomeadamente com o reforço dos efetivos e do mandato" da missão.

No documento, recordam que o Presidente guineense, José Mário Vaz, é "um Presidente interino" desde 23 de junho, quando terminou o seu mandato, e que "todos os seus atos devem ser subscritos pelo primeiro-ministro, a fim de lhe conferirem legalidade".

A CEDEAO considera, por isso, "que qualquer recurso às forças armadas ou às forças de segurança para impor pela força qualquer ato ilegal será considerado como um golpe de Estado e levará à imposição de sanções a todos os responsáveis".

No comunicado, a organização regional reitera que reconhece Aristides Gomes como primeiro-ministro e voltou a exigir a demissão do chefe do Governo nomeado pelo Presidente, Faustino Imbali, o que já aconteceu.

VM // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Europa acelera desconfinamento

A Europa acelera hoje o desconfinamento pós-pandemia, com os países nórdicos a reabrir os bares e o Reino Unido, o segundo país do mundo com mais mortos, depois dos Estados Unidos, a reabrir as escolas primárias.

Covid-19: Trump diz estar a avaliar retomar parcialmente contribuição para a OMS

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que está a considerar retomar parcialmente a contribuição dos Estados Unidos para a Organização Mundial de Saúde (OMS), que suspendeu em abril.

Covid-19: Mais de 373 mil mortos e de 6,2 milhões de infetados em todo o mundo

Paris, 01 jun 2020 (Lusa) -- A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 373.439 mortos em todo o mundo e mais de 6,2 milhões de infetados, de acordo com um balanço da AFP feito a partir de dados oficiais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.