Info

Chega quer penas mais graves nas agressões a bombeiros e polícias

| Política
Porto Canal com Lusa

Borba, Évora, 08 nov (Lusa) - O deputado do partido Chega, André Ventura, defendeu hoje a criação de "um regime especial", com o "agravamento de penas", para casos de "ofensas à integridade física e ameaças a bombeiros e agentes da autoridade".

"O que nós queremos é criar um regime específico, e não o regime geral, para os casos de ofensas à integridade física e de ameaças" nas situações "que envolvam bombeiros e agentes da autoridade", revelou a agência Lusa André Ventura, adiantando que prevê apresentar o projeto na Assembleia da República (AR) "no início de dezembro".

O deputado do Chega, eleito pelo círculo de Lisboa, falava à Lusa na véspera de se deslocar a Borba, no distrito de Évora, para uma visita à corporação dos Bombeiros Voluntários local.

Segundo uma nota de imprensa do partido, a visita surge "na sequência de mais um vil ataque de um grupo de cerca de 20 pessoas de etnia cigana, desta feita aos Bombeiros Voluntários de Borba, provocando dois feridos", na madrugada do dia 02 deste mês.

Nas declarações prestadas hoje à Lusa, André Ventura explicou que, na visita de sábado, pretende "estar com o comandante" da associação humanitária dos bombeiros, Joaquim Branco, "ouvir as suas preocupações" e dizer que o partido está "ao lado" da corporação.

"Já demos entrada até com um voto de condenação e de preocupação no parlamento por estes factos e vamos propor, vamos falar disso amanhã [sábado] com o comandante, um agravamento de penas para os casos de agressões contra bombeiros e agentes policiais", disse.

RRL // MLM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Secretária de Estado da Valorização do Interior desvaloriza eventuais mudanças da descentralização de secretarias

A descentralização de secretarias de Estado anunciada pelo próprio Governo parece continuar a ser assunto tabu. Desta feita foi a secretária de Estado da Valorização do Interior que relativizou o assunto.

Conselho de Ministros aprova quinta-feira salário mínimo de 635 euros em 2020

O primeiro-ministro anunciou hoje que o Conselho de Ministros, na quinta-feira, vai aprovar o valor de 635 euros para o salário mínimo em 2020, considerando que representa um aumento adequado à situação económica e social do país.

Partidos consensualizam um minuto e meio para Chega, IL e Livre no debate com PM

Todos os partidos com assento parlamentar consensualizaram hoje intervenções de um minuto e meio para os deputados únicos de Chega, Iniciativa Liberal e Livre no debate quinzenal com o primeiro-ministro de quarta-feira.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.