Info

Nova ministra do Trabalho confiante num acordo sobre salário mínimo para 2020

Nova ministra do Trabalho confiante num acordo sobre salário mínimo para 2020
| Economia
Porto Canal com Lusa

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, manifestou-se hoje confiante de que será possível alcançar um acordo em sede de concertação social sobre a evolução do salário mínimo para 2020.

Segundo a ministra, que está hoje em reuniões com os parceiros sociais, o objetivo da reunião de quarta-feira é chegar a acordo para o valor do salário mínimo em 2020.

"O nosso objetivo é de chegar aos 750 euros em 2023 e até lá faremos, ano a ano, a discussão e o debate daquilo que é o salário mínimo a cada ano. O objetivo da reunião de concertação social amanhã [quarta-feira] é o salário mínimo nacional para 2020", disse à margem da reunião com a UGT num dia dedicado a apresentar cumprimentos às organizações sindicais e patronais com assento na Comissão Permanente de Concertação Social.

"Queremos rapidamente fixar e encerrar o salário mínimo nacional para 2020 para trabalhar em todas as outras matérias, desde a questão da conciliação da vida familiar e profissional a questão da valorização da formação profissional e valorização dos jovens qualificados", acrescentou.

A discussão sobre o salário mínimo nacional será assim para a nova ministra "um primeiro passo" de um acordo "mais global sobre política de rendimentos".

+ notícias: Economia

Setor têxtil prevê fecho de duas mil empresas e perda de 28 mil postos de trabalho até 2025

O novo plano estratégico para o têxtil diz que o setor poderá perder duas mil empresas e 28 mil postos de trabalho. Apesar disso a associação dos empresários deste setor considera que não existem razões para alarmismos.

Alojamento local deve gerar impacto económico de 432 milhões de euros este ano em Portugal

A estadia em alojamento local deverá ter este ano em Portugal um impacto económico de 432 milhões de euros, segundo estimativas de um estudo hoje divulgado sobre o perfil do viajante português.

Portugal gasta quase metade do orçamento para saúde em ambulatório

Portugal gasta quase metade do seu orçamento para a saúde em cuidados de ambulatório e as despesas diretas das famílias são mais altas, em geral, do que a média europeia, segundo um relatório que é apresentado na quinta-feira em Lisboa.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.