Info

DOBRA - Festival de Cinema Documental de Braga estreia com programação dedicada aos jovens

| Norte
Porto Canal com Lusa

Braga, 30 out 2019 (Lusa) -- O Festival de Cinema Documental de Braga DOBRA, que vai decorrer a 25 e 26 de novembro, com programação do Porto/Post/Doc, quer mostrar aos mais jovens que "há cinema para além dos centros comerciais", disse hoje a organização.

Com oito sessões para o público escolar e uma aberta a adultos, o DOBRA decorre pela primeira vez, em Braga, numa iniciativa promovida pela equipa do Plano Nacional de Cinema do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante (PNC-AECA), o sexto maior agrupamento escolar do país.

"O cinema tem de ser entendido como uma necessidade e não só como uma ferramenta pedagógica. Tentamos mostrar aos alunos que há outro cinema e se fazem outras coisas para além do cinema dos centros comerciais. Há um trabalho sobre o filme depois de cada sessão", referiu, à agência Lusa, a coordenadora do PNC-AECA, Fátima Brandão.

Já o diretor do Porto/Post/Doc, festival que vai na sexta edição e que este ano decorre entre 23 de novembro e 01 de dezembro, destacou que num agrupamento em que, disse, "uma dúzia de professores estão envolvidos no Plano Nacional de Cinema", se está "a tentar criar reflexão sobre arte", numa aposta que gostaria de ver replicada a outros locais do país.

O DOBRA, de exibição gratuita, terá como anfitrião, no que ao espaço de projeções diz respeito, o Espaço Vita, enquanto o mecenas é o grupo empresarial DST.

Fátima Brandão destacou que o festival será para "todas as idades" com "filmes para todas as faixas etárias", levando "meninos a partir dos cinco anos até a alunos do ensino noturno" de escolas espalhadas por 13 freguesias do concelho de Braga.

"E queremos abrir a outros agrupamentos", acrescentou a coordenadora do PNC-AECA.

No dia 25, a partir das 09:30, os alunos do 2.º Ciclo terão acesso a uma programação que inclui "Dva Tramvaya", de Svetlana Andrianova, "Le Renard Minuscule" de Aline Quertain, "Le Lion Et Le Singe" de Benoit Feroumont, "Snowflake", de Natalie Chernysheva, "Paniek!", de Joost Lieuwma e Dann Velsink, "The Bird & The Whale", de Carol Freeman, "Hors Piste", de Léo Brunel, Loris Cavalier, Camille Jalabert e Oscar Malet, bem como "Vivat Musketeers!", de Anton Dyakov.

Às 11:30 o público do pré-escolar e do 1.º Ciclo é convidado a assistir aos filmes "Coucouleurs" de Oana Lacroix, "SamsDream" de NolweenRoberts, "Le Tigre SansRayures" de Raul RobinMoralesReyes, "Sloth", de Julia Ocker, e "La Petite Pousse", de Chaitane Conversat.

No dia 26, de manhã, o DOBRA é dedicado aos alunos do 3.º Ciclo com "Viagem a Cabo Verde", de José Miguel Ribeiro, "Kali, O Pequeno Vampiro", de Regina Pessoa, "A´gua Mole", de Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves, "Cidade Pequena", de Diogo Costa Amarante, "Russa", de João Salaviza e Ricardo Alves Jr.

Já "Transnistra", de Anna Eborn, em competição na edição Porto/Post/Doc 2019, é o filme para o Ensino Secundário, tendo exibição dupla para as tardes de segunda e terça-feira, às 14:00 e 16:00.

Por fim, nota para uma sessão gratuita aberta ao público geral que poderá assistir a "Hamada", de Eloy Domínguez Serén, filmado entre o povo saarauí, no deserto, vencedor da Competição Internacional do Porto/Post/Doc 2018, um filme que Dario Oliveira descreveu à Lusa como "exemplar para mostrar o que é a capacidade de descobrir um autor, descobrir cinema, descobrir um tema e descobrir um país que vive entalado entre um problema grave de reconhecimento internacional".

PFT // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Estudo mostra que é mais difícil aceder ao Ensino Superior Público no Porto

Entrar numa faculdade pública é mais difícil no distrito do Porto, de acordo com os dados de um estudo do Centro de Investigação em Políticas do Ensino Superior (CIPES). Citado pelo jornal Público e divulgado esta sexta-feira, os estudantes que querem entrar no Ensino Superior Público no Porto têm mais difículdades, do que no resto do pais, devido à oferta reduzida da rede pública e da média de acesso não poder ser inferior a 14 valores para garantir a entrada.

Infraestruturas de Portugal nega cancelamentos nas obras da Linha do Minho

A Infraestruturas de Portugal nega cancelamentos na empreitada de eletrificação da Linha do Minho. Em comunicado, informou que nos primeiros meses de 2021 já será possível a circulação ferroviária, em modo elétrico.

Morte por negligência em hospital do Porto com indemnização acordada após 25 anos

O Estado português aceitou pagar 32.500 euros à família de um homem que morreu há 25 anos durante uma cirurgia para retirar uma pinça esquecida no seu abdómen durante uma operação no Hospital de São João, no Porto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.