Info

Miguel Vieira traz cor e coleção com "toque mais desportivo" no terceiro dia do Portugal Fashion

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 26 out 2019 (Lusa) - O 'designer' Miguel Vieira encerrou o terceiro dia do Portugal Fashion com uma coleção com "bastante cor" e um "toque mais desportivo" para a próxima primavera/verão, enchendo a sala principal da Alfândega do Porto.

A penúltima noite da Semana da Moda do Porto, esta sexta-feira, começou a desabrochar com as coleções dos estilistas portugueses Diogo Miranda e Hugo Costa, inspiradas no romantismo da mulher e numa população sul-coreana, respetivamente, e encerrou com a nova coleção de Miguel Vieira que trouxe à passarela bastante cor e modernismo.

Depois de ter apresentado na Semana da Moda Masculina de Milão a sua nova coleção primavera/verão, Miguel Vieira encheu, além da sala principal da Alfândega do Porto, a passarela de cores como rosa, bege, diferentes tons de verde e estampados com flores.

Ao som de 'Bosco', 'Too Many Friends' e 'The Bitter End', da banda Placebo, o estilista apresentou 45 coordenados para homem e mulher de uma coleção que, com "um toque mais desportivo", tem como tema "o modernismo".

Em declarações à Lusa, Miguel Vieira destacou que o toque modernista da nova coleção se relaciona eminentemente com a alfaiataria, algo que considera ser "intemporal".

"É uma coleção que tem bastante cor, com a alfaiataria muito bem modelada e muito bem feita, mas ultrapassa para dar um toque muito mais desportivo à coleção toda", salientou.

O terceiro dia do 45.º Portugal Fashion ficou também marcado pela coleção primavera/verão de Diogo Miranda que, inspirada no filme "I am Love", de Luca Guadagnino, trouxe ao cais da Alfândega do Porto o "romantismo".

Junto às margens do rio Douro, o estilista apresentou 33 coordenados para mulher, com destaque para o "equilíbrio" entre peças que marcavam a silhueta e, simultaneamente, eram volumosas.

"Esta é uma coleção muito romântica, mas também muito forte ao nível de silhuetas. Queria fazer uma coleção que fosse desejável e que qualquer mulher que visse as peças ou o desfile tivesse o desejo de querer vestir", salientou, em declarações à Lusa, Diogo Miranda.

Pela sala principal da Alfândega do Porto passou também a coleção do estilista Hugo Costa que, inspirada na Coreia do Sul, mais precisamente nas mulheres Haenyeo [mergulhadoras em apneia que criaram uma sociedade semimatriarcal], trouxe à passarela 22 'looks', entre eles algumas peças impermeáveis e outras mais tradicionais, como o denim.

No terceiro dia passaram ainda pela Alfândega do Porto as coleções para a estação quente das marcas portuguesas Nycole, Sophia Kah, Bulflex e Pé de Chumbo.

Nesta edição do Portugal Fashion, para além de haver pela primeira vez a venda direta ao consumidor final no espaço de 'showroom Brand Up', vão desfilar ainda a dupla Marques'Almeida, Alexandra Moura, Maria Gambina, Alves/Gonçalves, entre outros.

O Portugal Fashion é um projeto da responsabilidade da Associação Nacional de Jovens Empresários, desenvolvido em parceria com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal e financiado pelo Portugal 2020 no âmbito do Compete 2020, com fundos provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

SPYC // JMC

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Encontrado cadáver junto da A28 na avenida AEP no Porto

Um cadáver do sexo masculino foi encontrado, este sábado, junto da A28 no avenida AEP no Porto, apurou o Porto Canal com fonte da PSP.

Eduardo Vítor Rodrigues afirma que o avanço da Regionalização não é precipitado porque há 20 anos que se espera o desenvolvimento

Depois dos autarcas do Porto e de Lisboa agora é o presidente da Área Metropolitana do Porto a dizer que não entende como se pode afirmar que é precipitado avançar com a regionalização. Eduardo Vítor Rodrigues lembra que há 20 anos que se aguarda pelo desenvolvimento do processo. Uma tomada de posição no mesmo dia em que a ministra da coesão considerou que a regionalização é algo que ainda tem de amadurecer.

Área Metropolitana do Porto diz que passe família pode entrar em vigor em janeiro

O passe família no Grande Porto deverá entrar em vigor em janeiro do próximo ano. A garantia foi dada por Eduardo Vítor Rodrigues autarca de Vila Nova de Gaia e presidente do conselho metropolitano que impôs ainda uma data às transportadoras para adquirirem os validadores para que o passe único intermodal seja para todos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.