Info

Miguel Vieira traz cor e coleção com "toque mais desportivo" no terceiro dia do Portugal Fashion

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 26 out 2019 (Lusa) - O 'designer' Miguel Vieira encerrou o terceiro dia do Portugal Fashion com uma coleção com "bastante cor" e um "toque mais desportivo" para a próxima primavera/verão, enchendo a sala principal da Alfândega do Porto.

A penúltima noite da Semana da Moda do Porto, esta sexta-feira, começou a desabrochar com as coleções dos estilistas portugueses Diogo Miranda e Hugo Costa, inspiradas no romantismo da mulher e numa população sul-coreana, respetivamente, e encerrou com a nova coleção de Miguel Vieira que trouxe à passarela bastante cor e modernismo.

Depois de ter apresentado na Semana da Moda Masculina de Milão a sua nova coleção primavera/verão, Miguel Vieira encheu, além da sala principal da Alfândega do Porto, a passarela de cores como rosa, bege, diferentes tons de verde e estampados com flores.

Ao som de 'Bosco', 'Too Many Friends' e 'The Bitter End', da banda Placebo, o estilista apresentou 45 coordenados para homem e mulher de uma coleção que, com "um toque mais desportivo", tem como tema "o modernismo".

Em declarações à Lusa, Miguel Vieira destacou que o toque modernista da nova coleção se relaciona eminentemente com a alfaiataria, algo que considera ser "intemporal".

"É uma coleção que tem bastante cor, com a alfaiataria muito bem modelada e muito bem feita, mas ultrapassa para dar um toque muito mais desportivo à coleção toda", salientou.

O terceiro dia do 45.º Portugal Fashion ficou também marcado pela coleção primavera/verão de Diogo Miranda que, inspirada no filme "I am Love", de Luca Guadagnino, trouxe ao cais da Alfândega do Porto o "romantismo".

Junto às margens do rio Douro, o estilista apresentou 33 coordenados para mulher, com destaque para o "equilíbrio" entre peças que marcavam a silhueta e, simultaneamente, eram volumosas.

"Esta é uma coleção muito romântica, mas também muito forte ao nível de silhuetas. Queria fazer uma coleção que fosse desejável e que qualquer mulher que visse as peças ou o desfile tivesse o desejo de querer vestir", salientou, em declarações à Lusa, Diogo Miranda.

Pela sala principal da Alfândega do Porto passou também a coleção do estilista Hugo Costa que, inspirada na Coreia do Sul, mais precisamente nas mulheres Haenyeo [mergulhadoras em apneia que criaram uma sociedade semimatriarcal], trouxe à passarela 22 'looks', entre eles algumas peças impermeáveis e outras mais tradicionais, como o denim.

No terceiro dia passaram ainda pela Alfândega do Porto as coleções para a estação quente das marcas portuguesas Nycole, Sophia Kah, Bulflex e Pé de Chumbo.

Nesta edição do Portugal Fashion, para além de haver pela primeira vez a venda direta ao consumidor final no espaço de 'showroom Brand Up', vão desfilar ainda a dupla Marques'Almeida, Alexandra Moura, Maria Gambina, Alves/Gonçalves, entre outros.

O Portugal Fashion é um projeto da responsabilidade da Associação Nacional de Jovens Empresários, desenvolvido em parceria com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal e financiado pelo Portugal 2020 no âmbito do Compete 2020, com fundos provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

SPYC // JMC

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

CCDR-N dá parecer desfavorável à localização do aterro da Resinorte na Trofa

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) emitiu hoje um parecer desfavorável ao licenciamento do aterro da Resinorte previsto para a freguesia de Covelas, concelho da Trofa, anunciou o Ministério do Ambiente.

Mercado Abastecedor com postos de venda encerrados depois de dois casos confirmados de infeção por Covid-19

Estão confirmados dois casos de infeção e um suspeito por Covid-19 em funcionários dos postos de venda do Mercado Abastecedor do Porto, anuncia em comunicado ao Porto Canal o Conselho de Administração que tomou conhecimento dos casos através da Unidade de Saúde do Porto. O Mercado Abastecedor do Porto procedeu ao encerramento imediato dos postos de venda nos quais os trabalhadores infetados operavam por instrução da Delegação de Saúde.

Provedor de irmandade de Braga diz que nunca exigiu "um centavo" a ninguém

O provedor da Irmandade de Santa Cruz, em Braga, afirmou hoje que, desde que exerce o cargo, nunca pediu ou mandou pedir “um centavo que fosse” para o acolhimento de idosos no lar da instituição.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.