Info

Rui Rio anuncia recandidatura à liderança do PSD

Rui Rio anuncia recandidatura à liderança do PSD
| Política
Porto Canal com Lusa

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou hoje que é candidato nas próximas eleições internas, afirmando estar disponível para enfrentar as adversidades inerentes, mas não as deslealdades e boicotes internos.

"O que está em jogo é demasiado importante para que a minha decisão possa ser outra. Estou pois disponível para disputar as próximas eleições internas, liderar a oposição ao Governo do Partido Socialista e conduzir o PSD nas próximas eleições autárquicas", disse.

O anúncio foi feito ao final da tarde, no Porto, numa declaração em que líder social-democrata disse estar disponível "para lutar contras todas as adversidades inerentes ao exercício do cargo de líder da oposição", mas não para voltar a enfrentar "deslealdades e permanentes boicotes internos".

Desde a noite eleitoral de 06 de outubro, durante a qual disse que ia avaliar com "calma e ponderação" o seu futuro político, que Rio se mantinha em silêncio sobre uma eventual recandidatura à presidência do partido nas eleições diretas previstas para janeiro.

Em 09 de outubro, três dias depois das eleições, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro anunciou que será candidato à presidência do PSD nas próximas diretas, e, na sexta-feira, foi a vez de Miguel Pinto Luz, antigo líder da distrital de Lisboa, anunciar que vai entrar na corrida.

As eleições diretas para eleger o próximo presidente do PSD deverão realizar-se em meados de janeiro e o Congresso na primeira ou segunda semana de fevereiro, mas as datas concretas serão fixadas num Conselho Nacional que deverá realizar-se em Bragança, na última semana de outubro ou primeira de novembro.

+ notícias: Política

Bloco de Esquerda diz que o negócio do El Corte Inglês é altamente lesivo para o Estado

O Bloco de Esquerda diz que o negócio do El Corte Inglês no terreno da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto é altamente lesivo para o Estado. O partido critica o facto dos contratos feitos entre a Infraestruturas de Portugal, ainda proprietária do terreno, e o grupo espanhol, "nunca terem sido disponibilizados".

Catarina Martins defende a eliminação das portagens no interior do país

O Bloco que Esquerda quer eliminar as portagens nas Scut do interior do país. Depois o PCP é a vez do Bloco defender o fim das portagens como forma de diminuir as assimetrias no interior do país.

Gestão dos rios portugueses. Mais um exemplo de centralismo?

A gestão dos recursos hídricos que está totalmente centrada na Agência Portuguesa do Ambiente, é mais um exemplo do centralismo em Portugal. A conclusão é de uma investigadora da Faculdade de Engenharia do Porto que concluiu que existe uma enorme disparidade entre Portugal e Espanha na forma como os rios são geridos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.