Info

Ordem espera "mudança no caminho" de ministra que "apelidou enfermeiros de criminosos"

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 15 out 2019 (Lusa) -- A bastonária dos Enfermeiros destaca que a ministra da Saúde hoje reconduzida foi a governante que "apelidou os enfermeiros de criminosos", mas acredita que há sempre margem para corrigir trajetos e manifesta-se disponível para o diálogo.

Num comentário à continuação de Marta Temido como ministra da Saúde, a bastonária Ana Rita Cavaco disse esperar uma "mudança no caminho e na relação que a ministra, Marta Temido, tem com a classe em si", e não tanto com a Ordem, recordando que os enfermeiros são a maior classe profissional do Serviço Nacional de Saúde.

A bastonária aludiu ainda a declarações da ministra feitas em dezembro do ano passado, quando, numa entrevista disse ter-se recusado a iniciar conversações com os enfermeiros em greve pois isso seria beneficiar "o criminoso, o infrator".

Depois desta declaração, a ministra enviou um pedido de desculpas através da própria bastonária.

"Há sempre espaço para as pessoas poderem corrigir trajetos, caminhos e formas de estar", afirmou à agência Lusa a representante dos enfermeiros.

Ana Rita Cavaco lamenta contudo a "falta de disponibilidade" que Marta Temido foi revelando para com os parceiros profissionais e sociais, mas mostra-se disponível para "dialogar e resolver problemas em conjunto".

"Da nossa parte podem contar com disponibilidade para o diálogo mas também para continuar a fazer denúncias sempre que houver uma quebra na segurança da prestação de cuidados de enfermagem", referiu.

A ministra Marta Temido tem tido, ao longo de um ano no executivo, uma relação crispada com a Ordem dos Enfermeiros, à qual determinou a realização de uma sindicância, por exemplo.

ARP // HB

Lusa/fim

+ notícias: Política

Covid-19: António Costa considera "repugnante" declaração de Ministro das Finanças holandês

António Costa voltou a carregar nas críticas às declarações do Ministro das Finanças holandês que defendeu que a comissão europeia devia investigar países, como Espanha sobre a falta de margem orçamental para fazer face à Covid-19. O Primeiro Ministro diz que ou a União Europeia faz o que tem a fazer ou acabará.

Costa ataca. "Ou a União Europeia faz o que tem a fazer ou acabará"

O primeiro-ministro advertiu hoje que a União Europeia corre o risco de acabar se não enfrentar corretamente os efeitos económicos e sociais da pandemia da covid-19, sublinhando que "a prioridade das prioridades é salvar vidas".

Covid-19: Governo aprova suspensão até setembro de créditos à habitação e de empresas

 O Governo aprovou hoje a suspensão até setembro do pagamento de créditos à habitação e de créditos de empresas, para famílias e empresas com quebra de rendimentos pela crise provocada pelo surto de covid-19.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS