Info

Médicos lamentam continuação de Marta Temido e de Mário Centeno

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 15 out (Lusa) -- O bastonário da Ordem dos Médicos entende que o primeiro-ministro "não está a saber aproveitar a nova oportunidade que os portugueses lhe deram" ao manter os mesmos ministros da Saúde e das Finanças.

Em declarações à agência Lusa, o bastonário dos Médicos, Miguel Guimarães, nota que António Costa "manteve os dois principais responsáveis pelo estado da saúde em Portugal", os ministros das Finanças, Mário Centeno, e da Saúde, Marta Temido.

"Não sei se esta escolha do primeiro-ministro é para ter um Serviço Nacional de Saúde mais forte ou para continuar a ser as Finanças a dominar sobre a saúde dos portugueses. Creio que é a segunda hipótese", afirmou Miguel Guimarães.

Para o bastonário dos Médicos, a atual ministra, que continua no cargo, "nada fez de significativo" pela saúde em Portugal.

Miguel Guimarães aproveitou para recordar um artigo da revista científica Lancet que refere que a saúde em Portugal precisa de "uma nova oportunidade".

Marta Temido continuará como ministra da Saúde no novo Governo, depois de em outubro do ano passado ter substituído no cargo Adalberto Campos Fernandes, num ano em que a agitação no setor não diminuiu.

A ministra tinha tomado posse no anterior Governo faz hoje precisamente um ano.

ARP // HB

Lusa/fim

+ notícias: Política

Covid-19: António Costa considera "repugnante" declaração de Ministro das Finanças holandês

António Costa voltou a carregar nas críticas às declarações do Ministro das Finanças holandês que defendeu que a comissão europeia devia investigar países, como Espanha sobre a falta de margem orçamental para fazer face à Covid-19. O Primeiro Ministro diz que ou a União Europeia faz o que tem a fazer ou acabará.

Costa ataca. "Ou a União Europeia faz o que tem a fazer ou acabará"

O primeiro-ministro advertiu hoje que a União Europeia corre o risco de acabar se não enfrentar corretamente os efeitos económicos e sociais da pandemia da covid-19, sublinhando que "a prioridade das prioridades é salvar vidas".

Covid-19: Governo aprova suspensão até setembro de créditos à habitação e de empresas

 O Governo aprovou hoje a suspensão até setembro do pagamento de créditos à habitação e de créditos de empresas, para famílias e empresas com quebra de rendimentos pela crise provocada pelo surto de covid-19.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS