Info

Ébola: OMS garante que epidemia na RDCongo está confinada a pequena mas insegura região

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Genebra, 10 out 2019 (Lusa) -- A Organização Mundial de Saúde (OMS) assegurou hoje que a epidemia do Ébola na República Democrática do Congo está "confinada" a uma pequena região, sublinhando que se trata de uma zona rural de difícil acesso e problemas de segurança.

Durante uma conferência de imprensa em Genebra, o diretor do Programa para as Emergências da OMS, Michael Ryan, regressado da República Democrática do Congo (RDC), partilhou o seu "otimismo prudente" face à situação.

"Nós confinámos consideravelmente o vírus numa zona geográfica bastante mais pequena, agora temos de destruir o vírus", afirmou, precisando que esta zona está situada entre as localidades de Mambasa, Komanda, Beni e Mandima, entre Kivu do Norte e o Ituri, no leste da RDC.

Segundo o responsável da OMS, o problema é que nesta zona a insegurança é muito grande devido a atividades ilegais associadas à indústria mineira e à milícia maï-maï.

A atual epidemia do vírus do Ébola é a décima em solo congolês desde 1976 e a segunda mais grave da história desde a que causou cerca de 11 mil mortos em África Ocidental em 2014.

Declarada em agosto de 2018 em Mangina, a epidemia atual já causou 2.144 pessoas, segundo a OMS.

SMM // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Trump diz estar a avaliar retomar parcialmente contribuição para a OMS

O Presidente norte-americano, Donald Trump, disse hoje que está a considerar retomar parcialmente a contribuição dos Estados Unidos para a Organização Mundial de Saúde (OMS), que suspendeu em abril.

Covid-19: Vírus já matou 347.723 pessoas e infetou mais de 5,5 milhões no mundo

Paris, 26 mai 2020 (Lusa) -- A pandemia do novo coronavírus já matou 347.723 pessoas e infetou mais de 5,5 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19:00 GMT de hoje, baseado em dados oficiais dos países.

Covid-19: UE arrecada doações de 2,5 mil ME para ajudar migrantes venezuelanos

Bruxelas, 26 mai 2020 (Lusa) -- A conferência internacional de doadores hoje promovida pela União Europeia (UE) para apoiar os migrantes venezuelanos e as comunidades de acolhimento, em altura de pandemia, atingiu um total de contributos de 2,5 mil milhões de euros, anunciou Bruxelas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.