Info

INE confirma queda de 0,1% dos preços em termos homólogos em setembro

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 10 out 2019 (Lusa) - O Índice de Preços no Consumidor (IPC) desceu em setembro 0,1% face ao mesmo mês de 2018, o mesmo valor registado em agosto, confirmou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos) situou-se em 0,2%, observando-se também valor idêntico ao do mês anterior.

A variação mensal do IPC terá sido 1,1% (em agosto, o valor apurado foi -0,1% e em setembro de 2018 tinha sido 1,1%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,5%, taxa inferior em 0,1 ponto percentual ao registado no mês precedente, refere o INE.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de -0,3% (que compara com os -0,1% observados em agosto), inferior em 1,2 pontos percentuais à estimativa do Eurostat para a área do euro (no mês anterior, esta diferença foi tinha sido 1,1 pontos percentuais).

O IHPC registou uma variação mensal de 1,4% (-0,1% no mês anterior e 1,5% em setembro de 2018) e uma variação média dos últimos doze meses de 0,5% (valor inferior em 0,1 pontos percentuais ao registado em agosto).

De acordo com o INE, a variação homóloga das rendas de habitação por metro quadrado foi 3,3% em setembro, taxa superior em 0,1 pontos percentuais à apurada no mês anterior, com todas as regiões a apresentarem variações homólogas positivas das rendas de habitação e Lisboa a registar o aumento mais intenso (4,1%).

O valor médio das rendas de habitação, por sua vez, registou uma subida mensal de 0,3%, valor idêntico ao registado no mês anterior, com todas as regiões a apresentarem variações positivas, sendo Lisboa a região com a variação mensal mais elevada (0,4%).

ICO // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Norte continua a ser a região mais pobre

O Norte do país continua a ser fustigado pelos níveis de pobreza. Há mais de 800 mil pessoas abaixo do limiar aceitável de condições de vida. 

"Talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender"

Lino Maia, da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, perante os dados que demonstram que a região Norte de Portugal é a mais afetada pela pobreza, afirma que "talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender". O INEM revela que no Norte existem 814 mil pessoas consideradas pobres, enquanto que a Área Metropolitana de Lisboa conta com 474 mil pessoas, dados de 2018.

OE2020: Principais números do Projeto de Plano Orçamental

O Governo divulgou hoje o Projeto de Plano Orçamental para 2020, que enviou à Comissão Europeia, onde prevê um défice menor este ano e corta para um saldo orçamental nulo a estimativa de excedente em 2020.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.