Info

Tribunal da Relação do Porto mandou retirar pulseira eletrónica a Manuela Couto

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 09 out 2019 (Lusa) -- O Tribunal da Relação do Porto deu hoje provimento ao recurso apresentado pela defesa de Manuela Couto decidindo pela retirada da pulseira eletrónica e abandono da prisão domiciliária em que se encontrava desde junho, disse à Lusa o seu advogado.

A 03 de junho, a empresária Manuela Couto e Miguel Costa Gomes, presidente da Câmara de Barcelos, ficaram com a medida de coação de permanência obrigatória na residência, com pulseira eletrónica, enquanto Joaquim Couto, ex-presidente da câmara de Santo Tirso, pagou uma caução de 40 mil euros para sair em liberdade e Laranja Pontes, ex-presidente do IPO/Porto, pagou 20 mil euros para o mesmo efeito.

Os arguidos foram detidos no âmbito da investigação da operação "Teia" que se centrou nas autarquias de Santo Tirso e Barcelos bem como no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto, investigando suspeitas de corrupção, tráfico de influência e participação económica em negócio, traduzidas na "viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto", segundo comunicado da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária.

"Ainda não fomos notificados pelo Tribunal da Relação do Porto, pelo que desconheço a fundamentação para a decisão tomada", declarou o advogado do casal Couto, Nuno Brandão, confirmando decorrer a decisão hoje conhecida do recurso interposto pela defesa "pedindo a revogação da obrigação de presença na habitação".

"Hoje foi-lhe retirada a pulseira eletrónica", confirmou.

Nuno Brandão informou ainda ter sido "negado provimento ao recurso que o Ministério Público interpôs para que fosse aplicada prisão preventiva quer a ela quer a Joaquim Couto".

JFO // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Mata do Camarido, em Caminha, está a ser recuperada com projeto de gestão que ronda os 35 mil euros

A Mata Nacional do Camarido em caminha está a ser recuperada através de um plano de gestão pensado para durar 15 anos. O investimento ronda os 35 mil euros.

Autarquia do Porto admite criar 'drive-in' no queimódromo para visualização dos jogos da Primeira Liga

A Câmara Municipal do Porto está a ponderar abrir o queimódromo com sistema 'drive-in' para a visualização dos jogos que faltam disputar na Primeira Liga. A ideia foi debatido num encontro hoje entre Rui Moreira e Pedro Proença.

Covid-19: Viana do Castelo lança campanha para transmitir confiança ao consumidor no comércio local

Viana do Castelo lançou uma nova campanha que visa transmitir e demonstrar confiança e segurança na reativação do pequeno e médio comércio. Os empresários anseiam a reabertura total das fronteiras, principalmente com a Galiza.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.