Info

Taxa de desemprego na OCDE em agosto cai para 5,1%, mínimo desde abril de 1998

| Economia
Porto Canal com Lusa

Paris, 09 out 2019 (Lusa) - A taxa de desemprego no conjunto da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE) baixou em agosto para 5,1% da população ativa, menos uma décima e o nível mais baixo desde abril de 1998, foi hoje anunciado.

A OCDE indicou hoje num comunicado que em agosto havia 32,9 milhões de pessoas desempregadas nos 36 países membros.

O pico de desemprego no denominado 'clube' dos países desenvolvidos ocorreu no primeiro trimestre de 2010, com uma taxa de 8,5%.

A taxa de desemprego desceu uma décima em agosto de 2019 na zona euro para 7,4%, a mesma percentagem registada em abril de 2008, precisamente antes de se começarem a fazer sentir os efeitos da crise financeira.

Os decréscimos mais importantes em agosto na zona euro registaram-se em Itália (menos três décimas, para 9,5%) e em Portugal (menos duas décimas, para 6,2%).

Espanha, onde a taxa de desemprego em agosto recuou uma décima para 13,8%, continua a ser um dos três países da OCDE com uma taxa de desemprego de dois dígitos, juntamente com a Grécia (17% em junho, último dado disponível) e a Turquia (14% em junho, também a estatística disponível).

Fora da Europa, o desemprego em agosto manteve-se no Canadá (5,7%), Japão (2,2%) e nos Estados Unidos (3,7%), tendo chegado a cair nove décimas na Coreia do Sul, para 3,1%.

Os dados mais recentes indicam que nos Estados Unidos em setembro se registou uma diminuição de duas décimas para 3,5%, o nível mais baixo desde dezembro de 1969.

MC // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS de 2015 e exige devolução de 3,5 milhões de euros

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) identificou um erro na liquidação de declarações de IRS relativas a 2015, que implicou um novo apuramento do imposto em cerca de 10 mil declarações no valor de 3,5 milhões de euros.

Trichet diz que Banco Central Europeu salvou o euro em 2010 e "Portugal sabe bem disso"

Jean-Claude Trichet, antigo presidente do Banco Central Europeu, afirmou à Lusa que, juntamente com a sua equipa, salvou o euro em 2010, quando comprou títulos de dívida de Portugal, Grécia e Irlanda, na altura alvos de uma "especulação devastadora" nos mercados.

Governo aprova salário mínimo de 635 euros para 2020

O Conselho de Ministros aprovou hoje o aumento do salário mínimo para 635 euros a partir de janeiro de 2020, medida que o Governo estima que poderá abranger 720 mil trabalhadores, foi hoje anunciado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

"Este mundo espantoso, inquieto e...

D'Mais

Hora do chá - o que é o...