Info

Antigo candidato a líder do PSD/Açores pede marcação de Conselho Regional

| Política
Porto Canal com Lusa

Ponta Delgada, Açores, 07 out 2019 (Lusa) - O candidato derrotado nas eleições de 2018 para a liderança do PSD/Açores, Pedro Nascimento Cabral, pediu hoje que seja marcado "o quanto antes" um Conselho Regional que debata o futuro do partido após as derrotas nas europeias e legislativas.

Numa publicação na rede social Facebook, Nascimento Cabral frisa que das eleições legislativas de domingo resultou uma "derrota clara e inequívoca do PSD/Açores", liderado por Alexandre Gaudêncio, que fez recentemente um ano à frente da estrutura partidária.

"Importa salientar que estamos perante a segunda derrota eleitoral consecutiva de Alexandre Gaudêncio, uma vez que este também já carrega nos ombros a maior derrota de sempre do PSD/Açores nas eleições para o Parlamento Europeu. Ou seja: Em dois atos eleitorais, Alexandre Gaudêncio conseguiu as duas maiores derrotas de sempre na história do PSD/Açores", assinala Pedro Nascimento Cabral.

Para o social-democrata, Gaudêncio não tem um "discurso político capaz de motivar e elevar o partido para outros níveis eleitorais", além de que se encontra "fortemente indiciado" em matéria de justiça.

Na qualidade de presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio foi constituído arguido na "Operação Nortada", suspeito dos crimes de peculato, prevaricação, abuso de poder e falsificação de documentos.

O seu envolvimento no caso, diz Pedro Nascimento Cabral, "retira credibilidade à ação política do PSD/Açores como partido que ambiciona governar a Região Autónoma dos Açores, sobretudo quando exige aos titulares de cargos políticos do PS/Açores uma postura ética que inexplicavelmente [Gaudêncio] não assume para si".

No domingo, o PS repetiu nos Açores a vitória nas legislativas nacionais de 2015, quando o presidente do partido e ex-presidente do Governo Regional, Carlos César, foi cabeça de lista e os socialistas elegeram, como agora, três deputados na região.

O PSD, maior partido da oposição também nos Açores, ficou com as restantes duas vagas da região na Assembleia da República.

O presidente do PSD/Açores, comentando o sufrágio, disse que a partir de hoje irá começar a trabalhar nas eleições regionais de 2020, procurando retirar os socialistas do poder na região.

PPF // ROC

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Veja aqui as medidas do Plano de Estabilização Económica e Social

O Governo apresentou na quinta-feira o Plano de Estabilização Económica e Social, para fazer face aos efeitos da pandemia de covid-19, que inclui medidas como a prorrogação automática do subsídio de desemprego e a atribuição de um abono de família extra.

Covid-19: Fronteiras entre Portugal e Espanha só deverão abrir a 01 de julho

O Governo português garantiu esta quinta-feira que Ainda não há data para a reabertura das fronteiras com Espanha. A posição surge depois da Ministra do Turismo de Espanha ter dito que o país reabriria as fronteiras a partir de 22 de junho, um calendário já alterado pelo Governo espanhol.

Estado vai pagar entre 100 a 351 euros a trabalhadores que perderam rendimentos

O primeiro-ministro anunciou hoje que em julho será pago um complemento de estabilização, entre 100 e 350 euros, para compensar quem teve perda salarial relativamente a um mês de "lay-off" e tenha vencimento até 1.270 euros.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.