Info

Bragança: Distrital do PSD defende que têm de acabar as "questiúnculas internas"

| Política
Porto Canal com Lusa

Bragança, 07 out 2019 (Lusa) -- O presidente da distrital de Bragança do PSD, Jorge Fidalgo, defendeu hoje que o partido tem de acabar com "questiúnculas internas" e respeitar a vontade dos militantes em relação ao líder.

Jorge Fidalgo entende que a continuidade de Rui Rio como presidente do PSD depende "da vontade dele" e, assumindo-se como um "institucionalista", defende que a questão da liderança só deve ser discutida no momento próprio, que é o congresso marcado para o final do próximo ano.

"Tal como defendemos a estabilidade no país, devemos defendê-la no partido. Se continuarmos com questiúnculas internas, dificilmente conseguiremos um resultado positivo", afirmou, em declarações à agencia Lusa.

Para o presidente da distrital de Bragança, o PSD teve a nível nacional "o melhor resultado possível, atendendo às circunstâncias", concretamente 27,9% dos votos.

"O que acho é que o partido tem de trabalhar e, fundamentalmente, haver militantes amigos do partido", considerou.

Àqueles que defendem eleições antecipadas no PSD, Jorge Fidalgo responde com uma pergunta: "um líder que entre agora o que é que vai fazer? Andarmos aos "tiros" uns aos outros?"

O social-democrata defende que tal como deve ser respeitada a vontade dos eleitores nas eleições nacionais, "tem de se respeitar a vontade dos militantes".

"Escolheram um líder e é com esse líder que devemos estar", defendeu.

O presidente da distrital de Bragança referiu ainda que "o PSD é muito maior do que qualquer militante" e que "é o partido que faz o líder e não o contrário".

Sobre os resultados de Bragança, reconheceu que "o distrito tem sempre esta tendência já muito antiga para o PSD", mas entende também a votação do eleitorado como um sinal ao Governo socialista.

"Espero que o Governo perceba que no distrito de Bragança estão descontentes com o anterior Governo. O investimento que houve nos últimos quatro anos foram as autarquias que o realizaram", afirmou.

Na noite eleitoral de domingo, o distrito de Bragança contrariou a tendência nacional de derrota do PSD, atribuindo ao partido a votação mais expressiva do todo nacional, com quase 41% dos votos.

HFI // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Bloco de Esquerda diz que o negócio do El Corte Inglês é altamente lesivo para o Estado

O Bloco de Esquerda diz que o negócio do El Corte Inglês no terreno da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto é altamente lesivo para o Estado. O partido critica o facto dos contratos feitos entre a Infraestruturas de Portugal, ainda proprietária do terreno, e o grupo espanhol, "nunca terem sido disponibilizados".

Catarina Martins defende a eliminação das portagens no interior do país

O Bloco que Esquerda quer eliminar as portagens nas Scut do interior do país. Depois o PCP é a vez do Bloco defender o fim das portagens como forma de diminuir as assimetrias no interior do país.

Gestão dos rios portugueses. Mais um exemplo de centralismo?

A gestão dos recursos hídricos que está totalmente centrada na Agência Portuguesa do Ambiente, é mais um exemplo do centralismo em Portugal. A conclusão é de uma investigadora da Faculdade de Engenharia do Porto que concluiu que existe uma enorme disparidade entre Portugal e Espanha na forma como os rios são geridos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

"Este mundo espantoso, inquieto e...

D'Mais

Hora do chá - o que é o...