Info

PR espera receber na terça-feira o primeiro-ministro que irá indigitar

| Política
Porto Canal com Lusa

Cascais, Lisboa, 07 out 2019 (Lusa) - O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que espera receber ainda na terça-feira o primeiro-ministro que irá indigitar, após ouvir os dez partidos com representação parlamentar.

"Espero ainda amanhã [terça-feira], se for possível, em termos de tempo, depois receber em Belém o primeiro-ministro que vier a resultar em termos de indigitação da audição dos partidos", declarou o chefe de Estado aos jornalistas, à saída de uma iniciativa no Centro de Congressos do Estoril.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, existe "uma razão de urgência", que é a realização de "um Conselho Europeu muito importante para discutir o 'Brexit' antes do dia 31 de outubro", na próxima semana.

"Conviria que o primeiro-ministro indigitado ouvisse os partidos numa composição diferente do parlamento, portanto, já deste parlamento acabado de eleger, sobre os temas europeus, antes da tomada de posição no Conselho Europeu", considerou.

Na sequência das eleições legislativas de domingo, que os socialistas venceram sem maioria absoluta, o Presidente da República convocou os dez partidos que elegeram deputados - PS, PSD, BE, PCP, CDS-PP, PAN, PEV, Chega, Iniciativa Liberal e Livre - para audições no Palácio de Belém na terça-feira entre as 11:30 e as 20:00, por ordem crescente de representação parlamentar, "tendo em vista a indigitação do primeiro-ministro".

O artigo 187.ª da Constituição da República Portuguesa estabelece que "o primeiro-ministro é nomeado pelo Presidente da República, ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados eleitorais".

IEL // ACL

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Fronteiras com Espanha devem continuar fechadas até ao fim de junho

O ministro da Administração Interna admitiu hoje manter encerradas as fronteiras terrestres e aérea com Espanha, enquanto existir uma quarentena interna no país vizinho.

Rui Rio: "O que precisamos é justamente de menos Estado"

António Costa e Silva defendeu que é preciso mais estado na economia. O presidente do PSD, Rui Rio, diz ter ficado admirado com a ideia defendida pelo gestor e sublinha que não se pode ter Estado por todo o lado.

Covid-19: BE propõe seis medidas extraordinárias para combater pobreza infantil

O aumento do abono de família, garantir o funcionamento pleno das cantinas escolares e a sinalização, pelas escolas, das situações dos alunos em situação de emergência são três das medidas de combate à pobreza infantil propostas hoje pelo BE.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.