Info

Equipa liderada pela UMinho "abre portas" a rastreio de infecção por aspergilose

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Braga, 05 mar (Lusa) - Uma equipa liderada pela Universidade do Minho identificou um fator genético que aumenta a probabilidade de contrair aspergilose em transplantes de medula óssea, "abrindo portas" para um rastreio específico e para minimizar as taxas de mortalidade associadas àquela infeção.

A aspergilose é uma doença infeciosa causada por um fungo que atinge principalmente os pulmões e cujos sintomas são diversos, tais como febre, tosse com sangue, delírio, hemorragias, calafrios, coágulos sanguíneos, perda de peso, icterícia, insuficiência renal e formação de massas fúngicas.

O trabalho que identificou aquele fator genético intitula-se "Genetic PTX3 Deficiency and Aspergillosis in Stem-Cell Transplantation" e foi publicado na revista da especialidade New England Journal of Medicin, explica a academia minhota, em comunicado enviado hoje à agência Lusa.

Foi coordenado por Agostinho Carvalho, do Laboratório Associado ICVS/3B's da UMinho e da Universidade italiana de Perugia, teve ainda a participação de grupos de investigação das universidades de Parma, Milão, Católica do Sagrado Coração (todas de Itália), Leuven (Bélgica), Regensburg e Friedrich Schiller (Alemanha), entre outros.

Segundo a Universidade do Minho, a descoberta desta equipa internacional "abre portas para novas intervenções terapêuticas e permitirá realizar um rastreio específico, no sentido de minimizar os riscos de desenvolvimento desta doença infeciosa com elevada taxa de mortalidade".

O texto explica que a pesquisa "demonstra que alterações específicas no genoma humano do dador de medula influenciam de forma significativa a suscetibilidade de pacientes à infeção por aspergillus fumigatus (fungo responsável pela aspergilose)".

A Universidade do Minho adianta que "estas alterações no gene da pentraxina 3 (PTX3) do dador conduzem a uma redução considerável dos níveis de PTX3 no doente durante o processo de reconstituição do sistema imunológico, diminuindo assim a sua capacidade em eliminar o agente patogénico".

Agostinho Carvalho sublinha que "o trabalho contribui para aumentar a capacidade dos clínicos em definir subpopulações de elevado risco para o desenvolvimento de aspergilose invasiva, o que contribuirá para a definição e otimização de estratégias preventivas".

Para além das variações genéticas no sistema imunológico, são vários os fatores que contribuem para o aumento de infeções fúngicas em pessoas sujeitas a transplantes de medula óssea, sendo que entre cinco a 15% destes doentes desenvolvem infeções que resultam em taxas de mortalidade muito elevadas, apesar de existirem fármacos para o efeito.

A pesquisa contou com o financiamento da Comissão Europeia, da Sociedade Europeia de Microbiologia Clínica e Doenças Infeciosas, do Ministério alemão de Educação e Ciência, do Conselho Europeu de Investigação, da Associação Italiana de Investigação em Cancro e da Fundação para a Ciência e Tecnologia.

JYCR // JGJ

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

CCDR-N dá parecer desfavorável à localização do aterro da Resinorte na Trofa

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) emitiu hoje um parecer desfavorável ao licenciamento do aterro da Resinorte previsto para a freguesia de Covelas, concelho da Trofa, anunciou o Ministério do Ambiente.

Mercado Abastecedor com postos de venda encerrados depois de dois casos confirmados de infeção por Covid-19

Estão confirmados dois casos de infeção e um suspeito por Covid-19 em funcionários dos postos de venda do Mercado Abastecedor do Porto, anuncia em comunicado ao Porto Canal o Conselho de Administração que tomou conhecimento dos casos através da Unidade de Saúde do Porto. O Mercado Abastecedor do Porto procedeu ao encerramento imediato dos postos de venda nos quais os trabalhadores infetados operavam por instrução da Delegação de Saúde.

Provedor de irmandade de Braga diz que nunca exigiu "um centavo" a ninguém

O provedor da Irmandade de Santa Cruz, em Braga, afirmou hoje que, desde que exerce o cargo, nunca pediu ou mandou pedir “um centavo que fosse” para o acolhimento de idosos no lar da instituição.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.