Info

ONU e Cruz Vermelha pedem fim de bombardeamentos em cidades da Líbia e Síria

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 18 set 2019 (Lusa) -- O secretário-geral da ONU e o presidente do Comité Internacional da Cruz Vermelha pediram hoje que se deixe de bombardear as cidades Idlib, na Síria, e Tripoli, na Líbia, alegando que a situação tem tido consequências humanitárias dramáticas.

"Idlib e Tripoli estão a sofrer muito e a destruição causada por uma chuva de bombas e mísseis afeta uma longa lista de cidades, como Mossul, Alepo, Raqqa, Taez, Donetsk, Fallujah e Sanaa", sublinharam António Guterres e Peter Maurer, num comunicado conjunto.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha e as Nações Unidas "lançam hoje um apelo aos Estados e a todos os participantes no conflito armado para que evitem a utilização de armas explosivas em zonas habitadas", referiram os responsáveis, referindo estarem "alarmados com as consequências humanitárias devastadoras" da guerra em zonas urbanas.

As partes em conflito "devem reconhecer que não podem desenvolver combates em zonas habitadas semelhantes aos que têm nos campos de batalha", sublinham Guterres e Maurer.

"É preciso lembrar que a utilização de armas explosivas em zonas de cidade ou em campos de refugiados expõe os civis a um risco elevado", acrescentaram no comunicado.

O direito internacional proíbe os ataques contra civis e instalações civis, referiram os responsáveis das duas organizações internacionais.

"Instamos os Estados e outras partes interessadas a reforçar a recolha de dados sobre vítimas civis (...) e a investigar" os casos para que seja possível responsabilizar os autores de ataques em zonas urbanas, apelaram.

PMC // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Papa condena fogos que devoram povos e culturas "para homogeneizar tudo e todos"

O Papa Francisco condenou hoje os fogos que "devoram povos e culturas" para "homogeneizar tudo e todos" ao referir-se à Amazónia, lembrando a colonização, e rejeitou a "ganância de novos colonialismos".

Quatro polícias mortos em ataque a sede da polícia de Paris

Quatro polícias foram mortos num ataque ocorrido hoje na sede da polícia de Paris, agredidos por um funcionário civil que foi abatido por um agente, noticiou a imprensa francesa.

Moçambique: Líder dissidente diz que votar no candidato da Renamo é voltar à guerra

Maputo, 14 out 2019 (Lusa) - O líder da autoproclamada Junta Militar da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), Mariano Nhongo, apelou hoje ao eleitorado moçambicano para não votar no candidato do partido, Ossufo Momade, nas presidenciais, dizendo que seria abrir "espaço" para uma nova guerra no país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.