Info

ONU e Cruz Vermelha pedem fim de bombardeamentos em cidades da Líbia e Síria

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Nova Iorque, 18 set 2019 (Lusa) -- O secretário-geral da ONU e o presidente do Comité Internacional da Cruz Vermelha pediram hoje que se deixe de bombardear as cidades Idlib, na Síria, e Tripoli, na Líbia, alegando que a situação tem tido consequências humanitárias dramáticas.

"Idlib e Tripoli estão a sofrer muito e a destruição causada por uma chuva de bombas e mísseis afeta uma longa lista de cidades, como Mossul, Alepo, Raqqa, Taez, Donetsk, Fallujah e Sanaa", sublinharam António Guterres e Peter Maurer, num comunicado conjunto.

O Comité Internacional da Cruz Vermelha e as Nações Unidas "lançam hoje um apelo aos Estados e a todos os participantes no conflito armado para que evitem a utilização de armas explosivas em zonas habitadas", referiram os responsáveis, referindo estarem "alarmados com as consequências humanitárias devastadoras" da guerra em zonas urbanas.

As partes em conflito "devem reconhecer que não podem desenvolver combates em zonas habitadas semelhantes aos que têm nos campos de batalha", sublinham Guterres e Maurer.

"É preciso lembrar que a utilização de armas explosivas em zonas de cidade ou em campos de refugiados expõe os civis a um risco elevado", acrescentaram no comunicado.

O direito internacional proíbe os ataques contra civis e instalações civis, referiram os responsáveis das duas organizações internacionais.

"Instamos os Estados e outras partes interessadas a reforçar a recolha de dados sobre vítimas civis (...) e a investigar" os casos para que seja possível responsabilizar os autores de ataques em zonas urbanas, apelaram.

PMC // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: China espera ter epidemia sob controlo no final de abril

A China espera ter o surto do cornavírus Covid-19 sob controlo no final de abril, disse hoje o chefe da equipa de médicos especialistas da Comissão Nacional de Saúde da China, o pneumologista Zhong Nanshan.

Covid-19: Portugueses no Norte de Itália relatam situações de pânico

Itália é o país europeu com maior número de infetados, sendo que onze pessoas já morreram. Os portugueses que vivem no Sul do país dizem não sentir os efeitos do vírus mas, a Norte falam em situações de pânico e muitas restrições.

Automóvel atropela desfile de Carnaval na Alemanha, vários feridos

Um automóvel avançou hoje sobre um desfile de Carnaval em Volkmarsen, no centro da Alemanha, fazendo vários feridos, segundo a polícia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.