Info

Brexit: Inflação homóloga no Reino Unido desce para 1,7% em agosto, mínimo desde 2016

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 18 set 2019 (Lusa) - A taxa de inflação homóloga no Reino Unido foi de 1,7% em agosto, o nível mais baixo desde finais de 2016, contra 2,1% em julho, foi hoje anunciado.

Num comunicado, a agência nacional de estatísticas britânica (Office for National Statistics, ONS) afirma que a desaceleração da inflação em agosto se deveu à queda dos preços de "bens recreativos e culturais", como videojogos, e em menor medida dos da roupa.

A maior pressão para a subida da taxa de inflação foi originada pelos preços dos bilhetes de avião, sublinhou a ONS.

A descida da inflação supõe um alívio para as famílias em vésperas do 'Brexit', previsto para 31 de outubro, entre temores de que uma possível saída da União Europeia (UE) sem acordo dispare os preços de alguns alimentos e de produtos importados.

O Banco de Inglaterra, cujo objetivo máximo de inflação é de 2%, também terá em conta esta descida quando realizar na próxima quinta-feira a reunião de política monetária e a evolução das taxas de juro.

MC // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

"Talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender"

Lino Maia, da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, perante os dados que demonstram que a região Norte de Portugal é a mais afetada pela pobreza, afirma que "talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender". O INEM revela que no Norte existem 814 mil pessoas consideradas pobres, enquanto que a Área Metropolitana de Lisboa conta com 474 mil pessoas, dados de 2018.

Norte continua a ser a região mais pobre

O Norte do país continua a ser fustigado pelos níveis de pobreza. Há mais de 800 mil pessoas abaixo do limiar aceitável de condições de vida. 

OE2020: Principais números do Projeto de Plano Orçamental

O Governo divulgou hoje o Projeto de Plano Orçamental para 2020, que enviou à Comissão Europeia, onde prevê um défice menor este ano e corta para um saldo orçamental nulo a estimativa de excedente em 2020.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.