Info

Preço do barril de Brent desce 6,33% para 64,65 dólares

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 17 set 2019 (Lusa) - O preço do barril de petróleo Brent para entrega em novembro encerrou hoje no mercado de futuros de Londres a baixar 6,33%, para 64,65 dólares, após ter subido 14,59%, devido aos ataques às instalações de uma petrolífera saudita.

O crude do mar do Norte, de referência na Europa, concluiu a sessão no International Exchange Futures a cotar 4,37 dólares abaixo dos 69,02 dólares com que fechou as transações na segunda-feira.

O preço do barril de petróleo Brent recuou depois de a Arábia Saudita anunciar que recuperou mais da metade da produção afetada por dois ataques de 'drones', que ocorreram no sábado.

Na segunda-feira, o preço do Brent tinha subido 14,59%, para 69,02 dólares, após os ataques reivindicados pelos rebeldes Houthis do Iémen contra instalações de uma petrolífera saudita.

AJO // SR

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Trabalhadores de misericórdias em greve na sexta-feira por aumentos salariais

Os trabalhadores da União das Misericórdias Portuguesas e das Misericórdias entregaram um pré-aviso de greve para a próxima sexta-feira por melhores condições de trabalho e aumentos salariais.

Norte continua a ser a região mais pobre

O Norte do país continua a ser fustigado pelos níveis de pobreza. Há mais de 800 mil pessoas abaixo do limiar aceitável de condições de vida. 

"Talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender"

Lino Maia, da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, perante os dados que demonstram que a região Norte de Portugal é a mais afetada pela pobreza, afirma que "talvez tenhamos que vender parte do território nacional a quem o queira vender". O INEM revela que no Norte existem 814 mil pessoas consideradas pobres, enquanto que a Área Metropolitana de Lisboa conta com 474 mil pessoas, dados de 2018.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.