Info

Eurodeputados dão luz 'verde' à nomeação de Christine Lagarde para liderar BCE

| Economia
Porto Canal com Lusa

Estrasburgo, França, 17 set (Lusa) -- O Parlamento Europeu aprovou hoje, por maioria, a nomeação de Christine Lagarde para presidente do Banco Central Europeu (BCE), que sucede a Mario Draghi, sendo este o aval final para a tomada de posse, prevista para 01 de novembro.

A votação decorreu na sessão plenária da assembleia europeia, na cidade francesa de Estrasburgo, e foi feita por escrutínio secreto, num total de 394 votos a favor, 206 contra e 49 abstenções.

Este é o aval final, sendo que o nome de Christine Lagarde já tinha tido 'luz verde' da comissão parlamentar dos Assuntos Económicos e Monetários, que ouviu a responsável no início deste mês, com estes eurodeputados a recomendarem, nessa altura, que o plenário do Parlamento Europeu desse parecer favorável à nomeação para a presidência do BCE.

Christine Lagarde será a primeira mulher a assumir a presidência do BCE, depois de ter sido também a primeira mulher na liderança do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Foi, inclusive, por estar numa reunião do FMI, em Washington, nos Estados Unidos, que Christine Lagarde não esteve presente hoje na sessão plenária do Parlamento Europeu. Antes da votação, os eurodeputados estiveram a debater a nomeação.

A nova presidente sucede a Mario Draghi, que deixa o cargo no dia 31 de outubro, devendo tomar posse no dia 01 de novembro.

O presidente do BCE é nomeado pelo Conselho Europeu (onde estão representados os chefes de Estado e de Governo da UE).

A nomeação tem de ser deliberada por maioria qualificada por recomendação do Conselho da UE e após consulta ao Parlamento Europeu e ao Conselho do BCE, como previsto no tratado sobre o funcionamento da UE.

O mandato tem uma duração de oito anos, não renováveis.

ANE // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo aprova salário mínimo de 635 euros para 2020

O Conselho de Ministros aprovou hoje o aumento do salário mínimo para 635 euros a partir de janeiro de 2020, medida que o Governo estima que poderá abranger 720 mil trabalhadores, foi hoje anunciado.

Investimento na cidade do Porto vem maioritarimente de fora

A maioria dos imóveis no Centro Histórico do Porto se não são exclusivamente de estrangeiros são de entidades sem rosto em que os estrangeiros têm interesses e capitais. A Associação de Inquilinos do Norte diz que o Porto está a começar a perder carisma devido ao investimento que vem de fora e chama a atenção para a especulação imobiliária.

Associação dos Industriais da Construção defende projetos no Interior para fixar pessoas

O presidente da Associação dos Industriais da Construção Civil defendeu que os projetos de reabilitação urbana devem estender-se a todo o país e que só assim será possível fixar pessoas no Interior. Já a Associação Comercial do Porto deixou críticas à proposta do Governo de englobar no os rendimentos prediais IRS.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.