Info

Indústria chinesa cresce ao ritmo mais lento desde 2002 face a disputas com EUA

| Economia
Porto Canal com Lusa

Pequim, 16 set 2019 (Lusa) - A produção industrial da China cresceu em agosto ao ritmo mais baixo desde 2002, segundo dados oficias divulgados hoje, acompanhando a tendência registada com outros indicadores económicos, numa altura em que Pequim e Washington travam uma guerra comercial.

Os dados do Gabinete Nacional de Estatísticas chinês revelam que a produção industrial aumentou 4,4%, face ao mesmo mês do ano passado, depois de, em julho, ter subido 4,8%, também em termos homólogos.

Trata-se do menor crescimento homólogo desde fevereiro de 2002, quando subiu 2,7%, uma tendência que se tem vindo a verificar desde o início do ano.

A produção industrial é utilizada pelas estatísticas chinesas para medir a atividade das grandes empresas, com receitas anuais superiores a 20 milhões de yuan (2,5 milhões de euros).

O crescimento homólogo das vendas a retalho, o principal indicador do consumo privado, fixou-se em 7,5%, depois de ter crescido 7,6%, em julho.

A economia chinesa cresceu 6,2%, no segundo trimestre deste ano, o ritmo mais lento em quase três décadas, mas dentro da meta definida pelo Governo chinês, e quase o dobro do crescimento mundial.

A ascensão ao poder de Donald Trump em Washington ditou o despoletar de disputas comerciais, com os dois países a aumentarem as taxas alfandegárias sobre centenas de milhões de dólares de produtos de cada um.

A liderança norte-americana, que teme perder o domínio industrial global à medida que Pequim tenta transformar as firmas estatais do país em importantes atores em setores de alto valor agregado, como inteligência artificial ou robótica, acusa a China de práticas comerciais injustas.

Um brusca desvalorização da moeda chinesa, o yuan, no mês passado, parece ter sido insuficiente para impulsionar as exportações do país, que caíram 1%, em relação a agosto de 2018.

JPI // MIM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Pescadores indignados com a interdição da pesca da sardinha

Está aí um novo período de interdição da pesca da sardinha. As regras nacionais estão em linha com as orientações europeias mas os 'homens do mar' não se conformam.

SNS registou prejuízo de cerca de 848 ME em 2018, um agravamento de 502ME face a 2017

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) registou em 2018 um prejuízo de cerca de 848 milhões de euros, um agravamento face ao ano anterior em cerca de 502 milhões de euros, segundo um relatório hoje divulgado.

Quais as prioridades para a região Norte nos próximos Fundos Comunitários?

O Parlamento Europeu quer que as negociações para o próximo quadro comunitário arranquem o mais rápido possível. Os eurodeputados vão votar esta quinta-feira uma resolução para que se chegue a um acordo sobre o orçamento do pós 2020. Em cima da mesa está um a proposta de cortes de 7% em Portugal que vão refletir-se na região Norte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.