Info

Euro volta a cair mas mantém-se nos 1,10 dólares

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 11 set 2019 (Lusa) - O euro voltou hoje a cair face ao dólar, nas vésperas de se conhecerem as decisões de política monetária do Banco Central Europeu (BCE).

A moeda única seguia a 1,1008 dólares cerca das 18:18 (hora de Lisboa) quando, na terça-feira, perto da mesma hora, negociava a 1,1038 dólares.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de referência do euro em 1,1003 dólares.

Os institutos alemães IfW e DIW reviram hoje em baixa as previsões de crescimento para a economia alemã e preveem uma recessão técnica para o terceiro trimestre do ano.

Segundo a Fitch, o impacto da guerra comercial entre a China e os Estados Unidos da América e os riscos de um 'Brexit' sem acordo levarão a uma revisão em baixa do crescimento a nível mundial, incluindo na zona euro.

Os analistas prevêem que o BCE aprove na quinta-feira um pacote de medidas para impulsionar a inflação e o crescimento económico.

Divisas..........hoje................terça-feira

Euro/dólar.......1,1008....................1,1038

Euro/libra......0,89384.................. 0,89430

Euro/iene........118,64................... 118,60

Dólar/iene.......107,77................... 107,44

DF (PE) // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo anuncia descontos nas portagens para utilizadores frequentes

A ministra da Coesão Territorial anunciou hoje, em Macedo de Cavaleiros, descontos nas portagens de sete autoestradas a partir do terceiro trimestre do ano para os "utilizadores frequentes".

Fisco dá mais um dia para validar faturas a deduzir no IRS

O Governo alargou por mais um dia, até ao final de hoje, a validação de faturas dedutíveis no IRS, decisão justificada por "constrangimentos temporários" no acesso ao portal de confirmação de faturas, segundo um aviso no Portal das Finanças.

Fectrans aponta inconformidades na aplicação do contrato coletivo e aciona formas de luta

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) apontou hoje inconformidades na aplicação do contrato coletivo do setor e do acordo de cargas e descargas, pedindo a intervenção da tutela e tendo já em vista formas de luta.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.