Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Renamo acusa exército moçambicano de "ataques em massa" à Serra da Gorongosa

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Maputo, 05 mar (Lusa) - A Renamo, o principal partido da oposição moçambicana, acusou hoje as forças governamentais de "ataques em massa" às posições do movimento na Gorongosa, centro do país, qualificando as alegadas incursões como "ameaça à paz" no país.

Em conferência de imprensa hoje em Maputo, António Muchanga, porta-voz do líder da Renamo, Afonso Dhlakama, acusou as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM) e a Força de Intervenção Rápida (FIR) de terem usado, hoje, canhões B11 e disparado 38 obuses contra a Serra da Gorongosa, onde se presume que esteja refugiado Dhlakama.

"Nesses ataques são usadas armas de destruição em massa mais conhecidas por canhões B11, tendo sido disparados, no dia de hoje, 38 obuses", afirmou António Muchanga.

Além de Gorongosa, os alegados ataques das forças de defesa e segurança moçambicanas visaram posições dos homens armados da Renamo no distrito de Inhaminga, também no centro do país, acrescentou António Muchanga.

Segundo o porta-voz do líder da Renamo, a suposta ofensiva do exército moçambicano representa uma ameaça à paz, uma vez que os homens armados do movimento poderão responder aos ataques.

"A continuação dos ataques das FADM/FIR aos homens da Renamo poderá precipitar o fim da paciência destes e do seu comandante em chefe, presidente Afonso Dhlakama", disse António Muchanga.

Os alegados ataques do exército moçambicano às posições militares da Renamo acontecem após a Assembleia da República ter aprovado as emendas à lei eleitoral propostas pelo movimento e que desencadearam a atual tensão militar e política em Moçambique.

Hoje, as delegações do Governo e da Renamo voltam a encontrar-se em Maputo para debater o desarmamento do principal partido da oposição, no quadro das negociações que as duas partes vêm mantendo em torno do diferendo eleitoral.

Na terça-feira, um ataque contra um carro militar, atribuído a homens armados da Renamo, matou quatro agentes e feriu outros cinco, das Forças da Guarda-fronteira, em Mussicadzi, Gorongosa, centro de Moçambique, disse à Lusa fonte hospitalar.

O ataque ocorreu a meio caminho entre Sadjundjira e Casa Banana, antigo bastião da Renamo quando o comando da Guarda-fronteira fazia o render da força numa posição.

PMA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Estado Islâmico reivindica ataque em Westminster que fez cinco mortos e 40 feridos

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou hoje o atentado de quarta-feira em Londres, que fez quatro mortos, incluindo o atacante e cerca de 40 feridos, informou a agência Amaq.

Sete detidos em rusgas em Londres e Birmingham

Sete pessoas foram detidas na sequência de rusgas realizadas em seis moradas diferentes, incluindo em Londres e em Birmingham, horas depois do atentado junto ao parlamento britânico, informou hoje a Polícia Metropolitana de Londres.

Theresa May diz que atacante era britânico e conhecido das autoridades

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse hoje que o autor do ataque de quarta-feira ao parlamento era de nacionalidade britânica e já tinha sido investigado pelos serviços secretos por ligações à violência extrema.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...