Info

Receita fiscal aumenta 1.486,6 ME até julho para um total de 25,02 mil ME

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 27 ago 2019 (Lusa) - O Estado arrecadou mais 1.486,6 milhões de euros em impostos até julho face ao mesmo período de 2018, num total de 25.025,4 milhões de euros, indica a síntese de execução orçamental divulgada hoje.

"Nos primeiros sete meses do ano a receita fiscal líquida do subsetor Estado registou um aumento de 1.486,6 milhões de euros (+6,3%) face ao período homólogo", refere a Direção-Geral do Orçamento (DGO), adiantando que este resultado é maioritariamente explicado "pela evolução da receita de IVA", contando ainda "com forte influência do desempenho da receita de IRC".

Depois do IVA e do IRC, o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) foi o que registou a maior subida, em valor, tendo aumentado 183,4 milhões de euros face a igual período de 2018.

Em termos acumulados, a receita fiscal ascendeu a 25.025,4 milhões de euros nestes primeiros sete meses de 2019, o que representa um aumento homólogo de 6,3%. Em junho, o valor total de impostos arrecadado pelo Estado tinha aumentado 7,6% por comparação com igual período de 2018.

LT // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Pescadores indignados com a interdição da pesca da sardinha

Está aí um novo período de interdição da pesca da sardinha. As regras nacionais estão em linha com as orientações europeias mas os 'homens do mar' não se conformam.

SNS registou prejuízo de cerca de 848 ME em 2018, um agravamento de 502ME face a 2017

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) registou em 2018 um prejuízo de cerca de 848 milhões de euros, um agravamento face ao ano anterior em cerca de 502 milhões de euros, segundo um relatório hoje divulgado.

Quais as prioridades para a região Norte nos próximos Fundos Comunitários?

O Parlamento Europeu quer que as negociações para o próximo quadro comunitário arranquem o mais rápido possível. Os eurodeputados vão votar esta quinta-feira uma resolução para que se chegue a um acordo sobre o orçamento do pós 2020. Em cima da mesa está um a proposta de cortes de 7% em Portugal que vão refletir-se na região Norte.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.