Info

PIB moçambicano cresceu 2,5% no primeiro semestre

| Economia
Porto Canal com Lusa

Maputo, 14 ago 2019 (Lusa) - O Produto Interno Bruto (PIB) de Moçambique cresceu 2,5% no primeiro semestre deste ano, anunciou o Governo moçambicano, considerando moderada a evolução da economia nacional.

A porta-voz do Conselho de Ministros, Ana Comoana, disse, em comunicado divulgado na terça-feira à noite em Maputo, que a inflação atingiu 3,83%, de janeiro a junho, contra 6,5% de igual período do ano passado.

O índice de preços registado no primeiro semestre deste ano ficou abaixo dos 6,9% inicialmente previstos.

Durante os primeiros seis meses do ano, o Estado arrecadou receitas na ordem de 104.607,2 milhões de meticais (1.500 mil milhões de euros) contra uma despesa no valor de 133.267,8 milhões de meticais (1,9 mil milhões de euros).

As reservas internacionais líquidas aumentaram em 68 milhões de dólares 60,8 milhões de euros), sendo atualmente suficientes para cobrir 5,7 meses de importações de bens e serviços.

A porta-voz do Conselho de Ministros assinalou que os indicadores macroeconómicos registados no primeiro semestre deste ano traduzem um comportamento moderado da economia, tendo em conta os eventos adversos que aconteceram de janeiro a fevereiro, nomeadamente os dois ciclones que atingiram as regiões norte e centro e a seca no sul.

"O Governo continuará a envidar esforços para assegurar a implementação do Plano Económico e Social", frisou Ana Comoana.

PMA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Governo diz que distribuição de combustível deverá ultrapassar serviços mínimos

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, garantiu hoje que a situação de distribuição de combustível está "na normalidade", devendo os serviços mínimos ser ultrapassados hoje, quarto dia de cumprimento da greve dos motoristas de matérias perigosas.

Antram defende que incumprir serviços mínimos e requisição civil prejudica a economia

O porta-voz da associação das empresas de transportes de mercadorias (Antram) considerou que o apelo esta quarta-feira lançado pelo sindicato dos motoristas de matérias perigosas para que ninguém trabalhe vai prejudicar gravemente a economia.

Greve dos motoristas está a causar prejuízos de dezenas de milhares de euros por dia para empresas

O presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São Bento, disse esta terça-feira que as empresas de transporte de combustíveis estão a ter prejuízo de dezenas de milhares de euros por cada dia de greve.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.