Info

Motoristas: Camiões continuam a sair de Aveiras de Cima

| País
Porto Canal com Lusa

Aveiras, Lisboa, 14 ago 2019 (Lusa) -- Os camiões de transporte de matérias perigosas continuam a sair da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, Lisboa, apesar de o porta-voz do sindicato ter afirmado esta manhã que ninguém iria "fazer absolutamente nada".

Entre as 09:00 e as 10:00 saíram cerca de 20 motoristas de matérias perigosas do CLC, sendo que a maioria foi apupada pelos colegas do piquete de greve, constatou a agência Lusa no local.

Na terça-feira, entre as 09:10 e as 11:40, saíram cerca de 50 camiões.

O porta-voz do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, garantiu à agência Lusa, cerca das 10:00, que hoje estão a sair "muito menos" camiões em relação a terça-feira e que "é óbvio que os serviços mínimos não vão ser cumpridos".

Hoje, ao início da manhã, o porta-voz dos motoristas de matérias perigosas afirmou que os trabalhadores não vão cumprir serviços mínimos nem a requisição civil, em solidariedade para com os colegas que foram notificados por não terem trabalhado na terça-feira.

Pedro Pardal Henriques disse depois à Lusa que esta posição foi decidida pelos membros do sindicato após o ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Matos Fernandes, ter adiantado que 14 trabalhadores não cumpriram a requisição civil decretada pelo Governo e que já tinha sido feita "a devida notificação" a 11 desses trabalhadores.

Entretanto, às 10:00, questionado sobre o facto de continuarem a sair veículos do CLC, o porta-voz do sindicato dos motoristas de matérias perigosas afirmou: Alguns "já tinham os camiões carregados e estão a fazer a descarga, até para não correr o risco de um camião ficar aqui carregado".

"E existem outros que não querem aderir à greve e que não querem paralisar e que continuarão a trabalhar", acrescentou.

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o terceiro dia de uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar uma requisição civil na segunda-feira à tarde, alegando incumprimento dos serviços mínimos.

A greve foi convocada pelo SNMMP e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), com o objetivo de reivindicar junto da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

TYS (PMC) // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: País

Mais de 20 hospitais realizam consultas de especialidade e cirurgias ao fim de semana

Hospitais de todo o país estão a realizar consultas de especialidade e cirurgias ao fim de semana. No Hospital de São João até ao domingo, durante todo o dia, são prestados esses serviços. O Sindicato Independente dos Médicos diz que é preciso haver uma negociação séria com o Governo.

Advogados e solicitadores protestam contra regime contributivo da Caixa de Previdência

Centenas de advogados, solicitadores e agentes de execução manifestaram-se, esta sexta-feira, contra o sistema de contribuições da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores.
Este sistema prevê uma contribuição mensal e obrigatória superior a duzentos euros, independentemente dos rendimentos.

Trabalhadores de saúde em greve a 20 de dezembro contra degradação do SNS

Os trabalhadores da saúde vão cumprir um dia de greve a 20 de dezembro, em protesto contra "os inúmeros problemas" diários e em defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e condições de trabalho.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...