Info

PIB da zona euro e da UE mantém ritmo de crescimento homólogo no 2º trimestre

| Economia
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 14 ago 2019 (Lusa) -- O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1,1% na zona euro e 1,3% na União Europeia no segundo trimestre do ano, em termos homólogos, enquanto na variação em cadeia progrediu 0,2% em ambos os casos, estima o Eurostat.

De acordo com a estimativa rápida hoje publicada pelo gabinete oficial de estatísticas da UE, o PIB europeu manteve assim sensivelmente o mesmo ritmo de crescimento verificado no trimestre anterior, já que entre janeiro e março progredira 1,2% na zona euro e 1,6% no conjunto da União na comparação face ao primeiro trimestre de 2018, enquanto face ao trimestre anterior (o último de 2018) crescera 0,4 e 0,5%, respetivamente.

Os dados disponibilizados por Estados-membros revelam que a economia portuguesa subiu acima da média europeia no segundo trimestre -- 1,8% na comparação homóloga e 0,5% face ao trimestre anterior --, destacando-se ainda a ligeira contração do PIB da Alemanha, principal economia europeia, que recuou 0,1% face ao primeiro trimestre do ano (crescendo 0,4% na comparação homóloga, abaixo da média da zona euro e da UE).

No mesmo boletim hoje publicado, o Eurostat estima ainda que o emprego tenha igualmente mantido o ritmo de crescimento do primeiro trimestre, tanto em termos homólogos como na comparação em cadeia.

Segundo a estimativa do Eurostat, na comparação com o segundo trimestre de 2018, o emprego progrediu 1,1% na zona euro e 1,0% no conjunto da União a 28 (após subidas homólogas de 1,3% e 1,2% no trimestre anterior), enquanto na comparação com os primeiros três meses do ano, o emprego registou uma subida ligeira de 0,2% entre abril e junho, tanto no espaço da moeda única como em toda a UE (após ter progredido 0,4% em ambos os casos no primeiro trimestre face aos últimos três meses do ano passado).

ACC // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Governo diz que distribuição de combustível deverá ultrapassar serviços mínimos

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, garantiu hoje que a situação de distribuição de combustível está "na normalidade", devendo os serviços mínimos ser ultrapassados hoje, quarto dia de cumprimento da greve dos motoristas de matérias perigosas.

Antram defende que incumprir serviços mínimos e requisição civil prejudica a economia

O porta-voz da associação das empresas de transportes de mercadorias (Antram) considerou que o apelo esta quarta-feira lançado pelo sindicato dos motoristas de matérias perigosas para que ninguém trabalhe vai prejudicar gravemente a economia.

Greve dos motoristas está a causar prejuízos de dezenas de milhares de euros por dia para empresas

O presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São Bento, disse esta terça-feira que as empresas de transporte de combustíveis estão a ter prejuízo de dezenas de milhares de euros por cada dia de greve.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.