Info

Curta-metragem "Feral", do realizador português Daniel Sousa, é candidato aos Óscares

| País
Porto Canal

Daniel Sousa, o realizador português nascido em Cabo Verde, está este ano nomeado para os Óscares, a atribuir no domingo em Los Angeles, com o filme "Feral", candidato ao prémio de melhor curta-metragem de animação.

Daniel Sousa nasceu em Cabo Verde, em 1974, cresceu em Portugal e, em 1986, mudou-se com a família para os Estados Unidos, onde vive, dá aulas e integra o coletivo Handcranked Films Projects.

"Feral" (2012), com 13 minutos, escrito e realizado por Daniel Sousa, é candidato ao prémio de melhor curta de animação, ao lado de "Get a Horse", de Lauren MacMullan e Dorothy McKim, "Mr. Hublot", de Laurent Witz e Alexandre Espigares, "Possessions", de Shuhei Morita, e "Room on the broom", de Jan Lachauer.

A nomeação de Daniel Sousa para os Óscares surge no culminar de uma série de prémios conquistados nos cerca de quarenta festivais de cinema onde o filme já foi exibido. No Cinanima 2012, em Espinho, conquistou o prémio RTP2 "Onda Curta".

Com animação em 2D e a preto e branco, "Feral" - que será exibido no domingo na RTP2 - conta a história de um menino selvagem, que se tenta adaptar à civilização, depois de ter sido encontrada num bosque, onde cresceu.

O realizador formou-se na Rhode Island School of Design, onde dá aulas, depois de já ter lecionado na Universidade de Harvard ou no Art Institute de Boston.

Antes de "Feral", Daniel Sousa assinou as curtas-metragens de animação "Minotaur", "Fable", "The windmill" e "Drift".

+ notícias: País

Ministro da Agricultura diz que Portugal tem plano de contingência para bactéria 'Xylella fastidiosa'

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, assegurou esta sexta-feira que o Governo tem um plano de contingência para fazer face à bactéria 'Xylella fastidiosa' e que é necessário estar atento aos seus sintomas nas plantas.

Farmacêuticos avisam que está posta em causa segurança dos doentes nos hospitais

A bastonária da Ordem dos Farmacêuticos alerta que a segurança dos doentes está posta em causa nos hospitais públicos por falta de profissionais e diz que só falta aos farmacêuticos "lavar o chão" das farmácias hospitalares.

Enfermeiros suspendem greve nos blocos operatórios até novas negociações a 30 de janeiro

A greve dos enfermeiros em blocos operatórios vai manter-se suspensa até 30 de janeiro, dia em que haverá nova uma reunião negocial entre os sindicatos e o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.