Info

Curta-metragem "Feral", do realizador português Daniel Sousa, é candidato aos Óscares

| País
Porto Canal

Daniel Sousa, o realizador português nascido em Cabo Verde, está este ano nomeado para os Óscares, a atribuir no domingo em Los Angeles, com o filme "Feral", candidato ao prémio de melhor curta-metragem de animação.

Daniel Sousa nasceu em Cabo Verde, em 1974, cresceu em Portugal e, em 1986, mudou-se com a família para os Estados Unidos, onde vive, dá aulas e integra o coletivo Handcranked Films Projects.

"Feral" (2012), com 13 minutos, escrito e realizado por Daniel Sousa, é candidato ao prémio de melhor curta de animação, ao lado de "Get a Horse", de Lauren MacMullan e Dorothy McKim, "Mr. Hublot", de Laurent Witz e Alexandre Espigares, "Possessions", de Shuhei Morita, e "Room on the broom", de Jan Lachauer.

A nomeação de Daniel Sousa para os Óscares surge no culminar de uma série de prémios conquistados nos cerca de quarenta festivais de cinema onde o filme já foi exibido. No Cinanima 2012, em Espinho, conquistou o prémio RTP2 "Onda Curta".

Com animação em 2D e a preto e branco, "Feral" - que será exibido no domingo na RTP2 - conta a história de um menino selvagem, que se tenta adaptar à civilização, depois de ter sido encontrada num bosque, onde cresceu.

O realizador formou-se na Rhode Island School of Design, onde dá aulas, depois de já ter lecionado na Universidade de Harvard ou no Art Institute de Boston.

Antes de "Feral", Daniel Sousa assinou as curtas-metragens de animação "Minotaur", "Fable", "The windmill" e "Drift".

+ notícias: País

Tecnologia 'morta' nas esquadras impede PSP e GNR de ceder à base de dados de informação policial

Milhares de computadores das esquadras da PSP e da GNR estão sem acesso à base de dados do sistema de informações. Tudo porque são antigos e não suportam a última atualização do Sistema. O Governo desmente.

GNR aumentou psicólogos e faz reavaliação psicológica ao efetivo

 A GNR aumentou o número de psicólogos e de psiquiatras ao serviço dos militares da corporação e está a realizar uma reavaliação psicológica do efetivo como medida de prevenção do suicídio.

Bastonário defende maior aposta na prevenção e cheque-dentista para menores de 6 anos

O bastonário dos médicos dentistas defende uma maior aposta na prevenção em detrimento da abordagem direcionada para o tratamento na área da saúde oral, considerando que não faz sentido o cheque dentista não abranger menores de seis anos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.