Info

Summer Camp de Cestaria junta artesãos portugueses e estudantes estrangeiros em Lisboa

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 23 jul 2019 (Lusa) - O Summer Camp de tecnologias de cestaria portuguesa junta cinco artesãos a estudantes de design e arquitetura, provenientes de cinco países, na arte de fazer cestos, até dia 02 de agosto, no Museu de Arte Popular, em Lisboa.

Numa iniciativa promovida pelo Ministério da Cultura, cinco artesãos vindos de Viseu, Guarda, Santarém e Loulé ensinam técnicas ancestrais que serão aplicadas por estudantes em peças desenhadas por estes.

"Esta atividade consiste em adaptar as técnicas ancestrais ao design contemporâneo, numa tentativa de preservar as nossas raízes e tradições", explicou a artesã Isabel Martins, proveniente de Sortelha, na região da Guarda.

Isabel Martins é a última artesã que se dedica ao trabalho do baracejo, uma das matérias-primas trabalhadas no 'summer camp', em Sortelha, na Guarda.

Além do baracejo, os artesãos trazem materiais como o bunho, da zona de Santarém, a junça, de Penedono, em Viseu, a palma, de Loulé, e o vime, de Gonçalo, na Guarda, produzidos em plantações próprias.

A portuense Francisca Patrocínio, estudante de Escultura, na Faculdade de Belas Artes da Universidade Porto, é uma das dez alunas do 'summer camp' e reforça a importância desta iniciativa no "reavivar das artes manuais e do artesanato, de forma a projetá-los para o futuro".

"Esta colaboração de gerações entre estudantes de design, mentores e os mestres funciona como uma partilha de conhecimentos e experiências, que permite valorizar esta arte", disse à agência Lusa.

Francisca compõe a equipa de trabalho do bunho, matéria-prima produzida pelo artesão Manuel Ferreira, de Santarém, que desenvolve a peça "Quebra-Luz", composta por bunho, fio e pedra.

"Esta é uma das peças que vamos desenvolvendo ao longo da atividade, inspirada na esteira tradicional, usada para dormir, mas com 'nuances' atuais", explicou o artesão à agência Lusa.

A arte do vime é ensinada por Fernando Nelas, conhecido na vila de Gonçalo, na Guarda, como o "Fórmula 1 dos cestos", pela rapidez e precisão no trabalho que faz, há 54 anos, disse à Lusa.

As artesãs Ana Paula Abrunhosa, dedicada à junça de Beselga, no distrito de Viseu, e Vanessa Flórido, licenciada em Engenharia Civil, que se dedicou ao artesanato da palma, da região algarvia, completam a equipa de artesãos.

O grupo de estudantes é composto por cinco portugueses, uma italiana, dois franceses e dois alunos provenientes do Chipre e da Polónia.

O 'summer camp' está inserido no plano nacional "Saber-fazer Português", lançado hoje pela área governativa da Cultura, em parceria a organização Michelangelo Foundation for Creativity and Cranftsmanship.

O "Saber-Fazer Português", em que uma das medidas passa pela reabertura do Museu de Arte Popular (MAP), "é dedicado às artes e ofícios e consiste na definição e implementação de medidas para salvaguardar os saberes tradicionais", pode ler-se no documento enviado à imprensa.

"Ao abrir o MAP ao 'summer camp' de cestaria, o Ministério da Cultura pretende deixar clara a sua intenção de que este museu constitua um espaço privilegiado para divulgação e partilha dos saberes tradicionais", pode ler-se na informação oficial.

O 'summer camp' de Cestaria decorre até ao dia 02 de agosto, no Museu de Arte Popular, em Lisboa.

RZDC/MAG // MAG

Lusa/fim

+ notícias: País

Mais de 20 hospitais realizam consultas de especialidade e cirurgias ao fim de semana

Hospitais de todo o país estão a realizar consultas de especialidade e cirurgias ao fim de semana. No Hospital de São João até ao domingo, durante todo o dia, são prestados esses serviços. O Sindicato Independente dos Médicos diz que é preciso haver uma negociação séria com o Governo.

Advogados e solicitadores protestam contra regime contributivo da Caixa de Previdência

Centenas de advogados, solicitadores e agentes de execução manifestaram-se, esta sexta-feira, contra o sistema de contribuições da Caixa de Previdência dos Advogados e Solicitadores.
Este sistema prevê uma contribuição mensal e obrigatória superior a duzentos euros, independentemente dos rendimentos.

Trabalhadores de saúde em greve a 20 de dezembro contra degradação do SNS

Os trabalhadores da saúde vão cumprir um dia de greve a 20 de dezembro, em protesto contra "os inúmeros problemas" diários e em defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e condições de trabalho.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...