Info

Operação da PSP de Leiria trava rede de tráfico de droga na região Centro

| País
Porto Canal com Lusa

Leiria, 23 jul 2019 (Lusa) - A PSP de Leiria deteve 11 pessoas suspeitas de tráfico de droga, o que poderá ter contribuído para pôr fim a uma rede que obteria lucros semanais na ordem dos milhares de euros, disse hoje fonte policial.

No âmbito de uma investigação que durou cerca de um ano, a Esquadra de Investigação Criminal, da Divisão Policial de Leiria, desencadeou, entre as 15:00 de domingo e as 20:00 de segunda-feira, em várias localidades do distrito de Leiria e Lisboa, uma operação policial que culminou com a detenção de 11 pessoas.

Segundo o comissário André Antunes, responsável da Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Leiria, a "Operação família" permitiu "desmantelar uma rede que estava a trabalhar há já algum tempo" e poderá assim ter-se "cessado a atividade criminosa" nos referidos distritos.

André Antunes revelou que o grupo teria "lucros que ascendiam aos milhares de euros semanalmente".

"Tratava-se de um grupo com um grau de organização já bastante consolidado. Tinham hierarquias e funções dentro da cadeia da rede criminosa bem definidas, atuavam com bastantes cautelas e eram indivíduos conhecedores de algumas das técnicas de investigação e da operacionalização das questões policiais", acrescentou o comissário.

O comissário acrescentou que "são pessoas que não andam nisto há um ou dois dias,", mas faziam desta atividade "um modo de vida".

A rede estava organizada e contava com vários colaboradores. "Não eram os patamares superiores que lidavam diretamente com os consumidores. Tinham 'funcionários' na sua dependência, que nas ruas faziam o escoamento do produto".

A operação policial visou, sobretudo, o topo da hierarquia, referiu ainda André Antunes.

A maioria dos suspeitos, sem emprego conhecido, tem antecedentes criminais. "Alguns deles já estão referenciados anteriormente pela prática de crimes simulares e até já sofreram condenações".

A operação policial desenrolou-se em Leiria, Batalha, Porto de Mós, Alcobaça, entre outras localidades da região, e na Área Metropolitana de Lisboa e Vila Franca de Xira, visando o cumprimento de diversos mandados de busca domiciliária e não domiciliária.

Foram detidas quatro pessoas em cumprimento de mandados e sete em flagrante delito pelos crimes de tráfico de estupefaciente e posse de arma ilegal, sendo três mulheres e oito homens, com idades compreendidas entre os 22 e os 56 anos.

A PSP apreendeu 823 gramas de heroína, que permitia a confeção de 8.231 doses individuais, 20,16 gramas de haxixe (40 doses individuais), 7,8 gramas de cocaína (39 doses individuais) e produto indeterminado, para "diminuir a pureza do produto estupefaciente".

A PSP apreendeu ainda mais de 27 mil euros, nove veículos, alguns de alta cilindrada, balanças de precisão, duas pistolas, uma espingarda, dois sabres, munições e telemóveis.

Na operação policial estiveram envolvidos cerca de 60 elementos policiais, a maioria da estrutura de investigação criminal da PSP das diversas subunidades do Comando de Leiria, com apoio da Unidade Especial de Polícia e do Comando Metropolitano de Lisboa.

Oito dos detidos foram levados hoje à tarde para o Tribunal Judicial de Leiria, a fim de serem sujeitos a primeiro interrogatório para serem aplicadas as medidas de coação.

Os restantes detidos são suspeitos de "crimes menores", pelo que foram libertados e notificados para se apresentarem no tribunal.

EYC // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Sindicato dos Motoristas admite recorrer à justiça para responsabilizar aqueles que violaram leis

O porta-voz do sindicato de motoristas de matérias perigosas, Pedro Pardal Henriques, admitiu este sábado recorrer à justiça para “responsabilizar todos aqueles que violaram as leis” na greve.

ASAE apreende 7.000 artigos em combate à contrafação no Facebook

A ASAE apreendeu em Castelo de Paiva e Coimbra mais de sete mil artigos desportivos contrafeitos, no valor de 62 mil euros, numa ação contra produtos contrafeitos vendidos através do Facebook e 'websites'.

Vários setores de atividade confessam que não aguentam mais dias de paralisação dos motoristas

A greve dos motoristas de matérias perigosas começou há quase uma semana mas os portugueses começaram a preparar-se muito antes. Também os vários setores de atividade revelaram estar bem preparados mas há quem diga que não aguenta mais dias de paralisação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.