Info

Diferença entre ricos e pobres baixa mas Portugal ainda é dos países mais desiguais da UE

Diferença entre ricos e pobres baixa mas Portugal ainda é dos países mais desiguais da UE
| Economia
Porto Canal com Lusa

A diferença entre os que têm mais e menos rendimentos em Portugal baixou, em 2018, para 5,22 pontos, menos do que os 5,7 registados no ano anterior, sendo ainda assim o sexto país com maior desigualdades na União Europeia (UE).

Em causa estão dados hoje divulgados pelo gabinete de estatísticas da UE, o Eurostat, que têm por base 20% dos rendimentos mais altos e os 20% dos mais baixos da população em toda a União.

No caso de Portugal, o valor registado no ano passado (5,22) colocou o país no sexto lugar do topo da lista dos Estados-membros com maiores desigualdades nos rendimentos, atrás da Bulgária (7,66), Roménia (7,2), Letónia (6,8), Espanha (6,03) e Grécia (5,5).

Em sentido inverso, verificaram-se menos desigualdades na República Checa e na Eslovénia (3,4 em ambos), Finlândia (3,5), Eslováquia (3,5) e Bélgica (3,8).

Em 2017, o valor registado em Portugal (5,7) tinha ficado, também, acima da média comunitária, que se fixou em 5,2.

O Eurostat não apresenta dados relativos à média da UE em 2018.

Ainda relativamente a Portugal, no ano passado, as desigualdades foram maiores no caso dos homens (5,29) do que nas mulheres (5,15).

O mesmo aconteceu em 2017, com os homens a apresentarem mais diferenças nos rendimentos (5,8) do que as mulheres (5,7).

+ notícias: Economia

Elisa Ferreira garante que proposta europeia de redução de apoios a Portugal não vai avançar

Depois da Comissão Europeia ter proposto reduzir os apoios a Portugal em cerca de 7%, a presidência finlandesa foi mais drástica e pediu a redução de 10% dos apoios. Em declarações ao Porto canal, a comissária europeia foi ainda cautelosa sobre o próximo quadro comunitário e sobretudo sobre as verbas que vão estar destinadas a Portugal.

Governo foi "até onde podia ir" nos aumentos salariais na Função Pública

O secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, garantiu hoje que o Governo "foi até onde podia ir" em matéria de atualização dos salários com a proposta de 0,3% e destacou o esforço do executivo de "regressar à normalidade".

Dormidas de turistas crescem 2,1% em outubro suportadas pelo alojamento local

As dormidas em alojamento turístico desaceleraram em outubro, aumentando 2,1% face ao mês homólogo de 2018 e impulsionadas pelo alojamento local, que subiu 11,3%, já que a hotelaria cresceu 0,7%, divulgou hoje o INE.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...