Info

Reclamações à CMVM desceram 67% para 462 em 2018

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 26 jun 2019 (Lusa) -- A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) recebeu 462 reclamações contra 49 entidades em 2018, face às 1.384 reclamações recebidas no ano anterior, informou hoje o regulador.

A grande maioria das reclamações recebidas pela CMVM (94% do total) foram contra intermediários financeiros, de acordo com o Relatório Anual de 2018 hoje divulgado.

Segundo o documento, as cinco entidades mais reclamadas foram o Banco Santander Totta, o Banco Comercial Português, a Caixa Geral de Depósitos, o Novo Banco e o BPI.

"As reclamações recebidas continuam a incidir sobretudo sobre instrumentos financeiros simples como ações, obrigações, papel comercial e fundos de investimento (não alternativos)", adianta o relatório.

A CMVM salienta que se assistiu "a um aumento das reclamações sobre ações e fundos de investimento e a uma redução significativa nas reclamações sobre obrigações".

O regulador acrescenta que a qualidade da informação prestada, quer pré como pós-contratual, "continua a ser o principal fundamento das reclamações recebidas", mas acrescenta, contudo, que houve um crescimento do número de reclamações sobre as comissões praticadas pelos intermediários financeiros, o serviço de custódia e execução de ordens.

Em 2017, as reclamações à CMVM tinham aumentado 24% face a 2016 para 1.384, e mais de metade (51%) referiam-se a obrigações.

ECR // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Elisa Ferreira garante que proposta europeia de redução de apoios a Portugal não vai avançar

Depois da Comissão Europeia ter proposto reduzir os apoios a Portugal em cerca de 7%, a presidência finlandesa foi mais drástica e pediu a redução de 10% dos apoios. Em declarações ao Porto canal, a comissária europeia foi ainda cautelosa sobre o próximo quadro comunitário e sobretudo sobre as verbas que vão estar destinadas a Portugal.

Governo foi "até onde podia ir" nos aumentos salariais na Função Pública

O secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, garantiu hoje que o Governo "foi até onde podia ir" em matéria de atualização dos salários com a proposta de 0,3% e destacou o esforço do executivo de "regressar à normalidade".

Dormidas de turistas crescem 2,1% em outubro suportadas pelo alojamento local

As dormidas em alojamento turístico desaceleraram em outubro, aumentando 2,1% face ao mês homólogo de 2018 e impulsionadas pelo alojamento local, que subiu 11,3%, já que a hotelaria cresceu 0,7%, divulgou hoje o INE.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Atitudo - Artes Marciais &...

Nota Alta

"A cidade do Porto está com um...