Info

Autarca de Barcelos retoma funções e gere município a partir de casa

Autarca de Barcelos retoma funções e gere município a partir de casa
| Política
Porto Canal com Lusa

O presidente da Câmara de Barcelos, Miguel Costa Gomes (PS), vai "de imediato" retomar funções, assegurando a governabilidade do município "a partir de casa", disse esta quarta-feira o advogado do autarca à Lusa.

Segundo Nuno Cerejeira Namora, Costa Gomes agendou já para quinta-feira uma reunião, no seu domicílio, com os vereadores socialistas.

Miguel Costa Gomes está em prisão domiciliária, desde 03 de junho, indiciado dos crimes de corrupção passiva e de prevaricação, no âmbito da operação "Teia".

Está também proibido de contactar com os funcionários do município.

Tinha, entretanto, pedido a sua substituição, até que o Tribunal de Instrução Criminal do Porto clarificasse a abrangência do termo "funcionários", para saber se estava também impedido de falar, nomeadamente, com vereadores e assessores.

Hoje, Costa Gomes foi notificado do despacho daquele tribunal que considera que "funcionário" é "assalariado, trabalhador e empregado".

"[Costa Gomes] Pode, assim, efetuar todos e quaisquer contactos com os vereadores da Câmara Municipal, deputados da Assembleia Municipal, membros do Gabinete de Apoio Pessoal, presidentes das Juntas de Freguesia e membros e dirigentes das empresas locais, uma vez que tal não contende com o cumprimento da medida de coação aplicada", refere Nuno Cerejeira Namora.

Segundo o advogado, Costa Gomes recebeu esta decisão judicial como "uma primeira pequena vitória, de muitas que espera receber até à vitória final".

"De facto, esta decisão é uma vitória, pois, ao contrário do que se receou, os seus poderes não foram cerceados", referiu o advogado, sublinhando que Miguel Costa Gomes "está forte, corajoso e determinado".

Na reunião de quinta-feira, será "concertado" o modelo de funcionamento do executivo, nomeadamente a eventual forma de participação do presidente nas reuniões.

"O presidente pode despachar a partir de casa", referiu Cerejeira Namora, lembrando que mesmo que Costa Gomes não participe nas reuniões a aprovação das propostas está "garantida à partida", graças ao "voto de qualidade".

Em cima da mesa está também a hipótese de Costa Gomes participar nas reuniões "via internet".

Com a decisão do tribunal de instrução, e ainda segundo o advogado, o genro de Costa Gomes pode regressar a casa do autarca, onde vivia.

Cerejeira Namora explicou que o genro de Costa Gomes é adjunto da vice-presidente da Câmara, pelo que, após a aplicação das medidas de coação, ficou a dúvida se poderia haver contactos entre ambos.

"Pelo sim, pelo não, o genro saiu de casa. Agora, já pode regressar", disse o advogado.

Na operação Teia, e além de Costa Gomes, são ainda arguidos o entretanto demissionário presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, que ficou em liberdade mediante o pagamento de uma caução de 40 mil euros, e a mulher, a empresária Manuela Couto, que ficou em prisão domiciliária.

O outro arguido é o ex-presidente do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto Laranja Pontes, que também ficou em liberdade mediante caução de 20 mil euros, e com suspensão das funções que exercia.

O processo está relacionado com alegados favorecimentos às empresas de Manuela Couto por parte do Município de Barcelos e do IPO, a troco de favores políticos conseguidos por Joaquim Couto.

+ notícias: Política

Luís Montenegro: "Comigo não vai haver acordos entre o PS e o PSD"

Luís Montenegro garante que com ele na liderança do PSD não haverá acordos com o PS, nem que seja para negociar orçamentos. O já assumido candidato à liderança dows sociais democratas espera a disponibilidade de Rui Rio para que haja uma maior clarificação de ideias para o futuro do partido.

Autarcas do Grande Porto pedem mais autonomia na organização de atos eleitorais

Cinco autarcas de freguesias de concelhos do Grande Porto vão pedir à Comissão Nacional de Eleições e ao Ministério da Administração Interna que confira às Juntas maior autonomia na organização dos atos eleitorais. Os Presidentes de Junta referem que no passado domingo foram muitos os eleitores que enfrentaram excessiva e inaceitável demora no exercício do direito de voto e, por isso, pedem mudanças.

Diana Ferreira diz que orçamento do hospital de S. João "é insuficiente"

A recém-reeleita deputada do PCP pelo Porto, Diana Ferreira, quis fazer um ponto de situação sobre a construção da nova ala pediátrica do hospital de São João e reuniu-se esta sexta-feira com a administração. Sobre a obra, está tudo a correr como previsto. Já sobre o orçamento do hospital, Diana Ferreira saiu com a certeza de que é insuficiente.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Porto Legends - The Underground...