Info

Convenção conclui que SNS dá "sinais de cansaço" e tem sistema "que não é amigo do cidadão"

Convenção conclui que SNS dá "sinais de cansaço" e tem sistema "que não é amigo do cidadão"
| País
Porto Canal com Lusa

A Convenção Nacional da Saúde concluiu esta terça-feira que o SNS "dá sinais de cansaço" e avisa que os portugueses "não podem ter listas de espera de anos" por consultas ou cirurgias, nem ter "enormes falhas de medicamentos".

Portugal tem ao nível da saúde um "sistema que não é amigo do cidadão", declarou Ana Paula Martins, bastonária da Ordem dos Farmacêuticos no discurso em que apresentou as conclusões da Convenção Nacional da Saúde, que hoje decorreu em Lisboa.

"Os portugueses não podem ter listas de espera de anos por uma primeira consulta da especialidade ou cirurgia, não podem ter as enormes falhas de medicamentos que têm atualmente na nossa rede de farmácias, não podem esperar eternidades por tratamentos inovadores que podem fazer a diferença, não podem continuar a não ter cuidados continuados e paliativos para si e para os seus quando necessitam, que não só gera sofrimento e desesperança, mas sobrecarrega desnecessariamente as famílias e os cuidadores, exaustos e perdidos num sistema que não é amigo do cidadão", afirmou.

Ana Paula Martins, apresentando as conclusões da Convenção, disse que se vive uma "época difícil e complexa", sobretudo porque o Serviço Nacional de Saúde "dá sinais de cansaço depois de anos seguidos de resiliência e resistência dos profissionais, redução de horários de trabalho sem os consequentes planos de reorganização e incentivo à produtividade, sem a renovação das infraestruturas, sem autonomia na gestão, com falta de investimento planeado, sem reforço do capital humano ou aposta séria na prevenção".

Foram "anos de impactos" em todos os agentes do sistema de saúde e "anos de desesperança, muitas vezes sem estabilidade ou previsibilidade" nas políticas.

"Ao SNS é há muito tempo pedido que faça o possível e o impossível, que integre a inovação tecnológica e terapêutica sem financiamento adicional, que motive os profissionais sem sistemas de incentivo adequados e carreiras organizadas, que seja inclusivo e não deixe ninguém para trás, que seja porto de abrigo dos casos sociais, que assuma que o cidadão é o centro do sistema quando ao cidadão são vedadas as possibilidades de participação já constantes até na Lei", declarou a bastonária dos Farmacêuticos.

Segundo o discurso com as conclusões da Convenção, o "SNS e o sistema de saúde não podem ser uma fonte de problemas para os portugueses".

"Não queremos viver presos ao passado porque já não somos, felizmente, esse país onde a esperança média de vida não ultrapassava os 69 anos e em cada 100.000 partos realizados morriam 43 mulheres", lembrou.

+ notícias: País

Morreram 11 235 pessoas por AVC em 2018, mortes por doenças respiratórias aumentam

Os acidentes vasculares cerebrais causaram em 2018 o maior número de óbitos, com 11.235 mortes, mas os dados melhoraram em relação ao ano anterior, ao contrário das mortes por doenças respiratórias, que estão a aumentar, segundo o INE.

Pippo Russo comenta caso Marega e considera "bipolar e esquizofrénica" prisão de Rui Pinto

O jornalista e sociólogo italiano Pippo Russo considera que há um tratamento "bipolar e esquizofrénico" por parte das autoridades portuguesas em relação a Rui Pinto. Em entrevista ao Jornal Económico, o italiano diz que este é um caso único no mundo.

Carnaval com temperaturas que podem chegar aos 26 graus

As miniférias do Carnaval vão ser marcadas pelo bom tempo, com céu pouco nublado e temperaturas que podem chegar em algumas regiões do país aos 26 graus Celsius, embora na terça-feira as máximas comecem a descer.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

"Nasci em Lisboa mas digo sempre vou...

D'Mais

Travelhood - Roteiros na natureza para...