Info

Venda de areia pelo Porto de Aveiro destina-se a libertar área para expansão

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Aveiro, 25 fev (Lusa) - O presidente da Administração do Porto de Aveiro (APA), José Luís Cacho, esclareceu que a hasta pública de areia hoje realizada por aquela entidade diz respeito a uma pequena quantidade e visa libertar área para o alargamento dos terminais.

Ao todo são 100 mil toneladas de inertes que a administração portuária colocou à venda, facto criticado pelo Bloco de Esquerda que, em comunicado, considera "inadmissível que areias removidas de uma área bastante afetada pela erosão costeira sejam vendidas em leilão e não usadas para a reposição de sedimentos na costa".

O BE salienta que "a extração e comércio de areias não fazem parte do negócio da APA" e recorda que, no início de 2013, a APA vendeu também 100 mil toneladas de areia por 50 mil euros, sendo que "equivale a apenas 60 mil metros cúbicos do total de três milhões de metros cúbicos que a administração portuária insiste em armazenar a céu aberto, em prejuízo da qualidade de vida dos habitantes da Gafanha da Nazaré".

No comunicado, o Bloco defende que as areias "não devem ser vendidas" e propõe que sejam utilizadas em programas de combate aos efeitos da erosão costeira, com injeção de areias na costa.

Para o presidente da APA, as críticas do BE "não fazem qualquer sentido porque é uma quantidade pequena e, desde há 10 anos, a administração portuária coloca todos os anos mais de um milhão de metros cúbicos no cordão dunar e na deriva costeira", em resultado das dragagens necessárias a assegurar as condições de navegabilidade.

José Luís Cacho desmente que o objetivo do lucro esteja na base da hasta pública e salienta que o valor económico da areia tem caído acentuadamente.

"São as areias que ali ficaram quando foi feita a construção do porto e temos que libertar aquela área rapidamente, porque neste momento é um prejuízo e temos de procurar minimizar os encargos com aquilo. O Porto precisa daquela área para construir lá a plataforma logística", esclareceu.

O presidente da Administração do Porto de Aveiro salienta que já estão a ser depositadas no cordão dunar 1,6 milhões de toneladas, na Praia da Vagueira, operação que tem custos muito elevados, só possível no âmbito de um projeto comparticipado como é o caso, ao abrigo do programa Polis.

"Andamos com este processo há uns anos sem conseguir libertar a zona e estamos a meter 1,6 milhões de toneladas no cordão dunar, juntamente com a Polis. Se estamos a vender 60 mil metros cúbicos, percebe-se a dimensão. Temos é de limpar aquela zona rapidamente porque precisamos daquela área para alargamento dos terminais", concluiu.

MSO // JAP

Lusa / Fim

+ notícias: Norte

DECO explica que passageiros que são reencaminhados do Alfa Pendular para um comboio urbano podem pedir indemnização

Quem viaja de Alfa Pendular entre Lisboa e Braga tem que mudar para um comboio urbano na estação de Campanhã, no Porto. A situação arrasta-se há vários meses e causa indignação nos passageiros sendo que muitos não conseguem mudar de comboio a tempo de prosseguir viagem. A DECO explicou ao Porto Canal quais as opções que as pessoas em causa têm para contestar este serviço.

Acidente com trator provoca um morto na Póvoa de Lanhoso

Um homem morreu este sábado na sequência de um acidente com um trator na localidade de Sobradelo da Goma, concelho da Póvoa de Lanhoso, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Braga.

O que mudou na cidade do Porto com a construção do Estádio do Dragão?

A cidade do Porto mudou muito depois da construção do Estádio do Dragão. O estádio faz a ponte com a zona oriental da 'invicta' e criou novas acessibilidades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.