Info

Europeias: "O PS não é um partido fiável", acusa Rui Rio

| Política
Porto Canal com Lusa

O presidente do PSD, Rui Rio, acusou esta sexta-feira o PS de não ser "um partido fiável", dizendo que os socialistas apenas "casaram" com BE e PCP "por interesse".

Atualizado 25-05-2019 11:18

"O PS não é um partido fiável, namora com qualquer um, mas só casa por interesse, porque por amor só mesmo o poder", acusou Rui Rio, no comício final da campanha, ao ar livre na Praça da Batalha, no final de uma descida da Rua de Santa Catarina.

O líder social-democrata voltou a desvalorizar os ataques na reta final da campanha do PS aos parceiros que suportam o seu Governo, considerando que os socialistas apenas querem "apagar essa ponte à extrema-esquerda" para conquistar os votos dos moderados no domingo.

Apesar de a praça não ter enchido completamente, Rio saudou a mobilização conseguida "durante a semana, ao final da tarde e numas eleições europeias".

"Tenho a certeza que esta é a melhor sondagem que podemos ter para o próximo domingo", afirmou, dizendo estar confiante que o PSD "vai ganhar as eleições europeias".

O líder social-democrata voltou a criticar o que chamou de degradação dos serviços públicos e atribuiu-a, em parte, às nomeações de familiares para o Governo e para o Estado.

"Quando usamos a administração pública para colocar a família e os amigos socialistas não podemos estar à espera que funcionem como se lá houvesse gente competente", criticou.

O presidente do PSD disse "ser um gosto terminar a campanha no Porto", de onde é natural, tal como o cabeça de lista do PSD, Paulo Rangel.

"E acima de tudo porque o Porto é a terra de Francisco Sá Carneiro e sem ele não haveria PSD", afirmou.

+ notícias: Política

Costa afasta "Bloco Central" e recusa aceitar incapacidade da esquerda para visão comum

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o país.

Efacec: Marcelo quer nacionalização "quanto mais curta melhor"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou na sexta-feira que a nacionalização da Efacec não é para ser duradoura, defendendo que "quanto mais curta melhor".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.