Info

Rangel lembra cataplana de Costa na TV como resposta a críticas de ‘política-espectáculo’

| Política
Porto Canal com Lusa

O cabeça de lista do PSD, Paulo Rangel, respondeu este sábado às críticas de António Costa à política-espectáculo lembrando a participação do primeiro-ministro num programa televisivo com a família, no qual cozinhou cataplana.

Atualizado 19-05-2019 11:07

“Tem dito que é contra a política-espetáculo, contra a política feita para as televisões, contra a política de encenação. Há uma coisa que ele a mim não pode dizer, já que está a falar de Paulo Rangel e quer personalizar as coisas: a mim ninguém me viu com a minha família a cozinhar cataplana num programa de televisão”, afirmou o eurodeputado, num encontro com jovens em Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga.

Rangel referia-se à participação do primeiro-ministro no programa matinal da SIC da apresentadora Cristina Ferreira e respondia, em concreto, às críticas que António Costa fez durante a campanha para as europeias à sua viagem de helicóptero sobre as zonas afetadas pelos incêndios de 2017.

“Não estou a criticar ninguém por o fazer, mas não venha dar lições de política-espetáculo quem anda em programas da manhã a cozinhar cataplana e ainda leva a família, não vai sozinho. A mim ninguém me viu a fazer isso. Nem viu, nem vai ver”, assegurou.

O secretário-geral do PS criticou, na terça-feira, a ação de campanha do candidato social-democrata, que sobrevoou de helicóptero parte da zona de pinhal do interior dos distritos de Coimbra e Leiria, considerando que a “vida política não se faz a andar de helicóptero, mas com os pés no chão, cara a cara com as pessoas”.

Antes de Paulo Rangel, já o número três da lista do PSD às eleições europeias e líder da distrital de Braga, José Manuel Fernandes, tinha centrado as críticas em António Costa, que na quinta-feira questionou que trabalho tinha feito o cabeça de lista social-democrata nos dez anos como eurodeputado em prol do interior.

“Há uma coisa que vos garanto, Paulo Rangel nunca desviou dinheiro das regiões mais pobres para as regiões mais ricas, nunca esteve de férias e em praias quando Portugal estava todo a arder”, atacou o dirigente do PSD de Braga.

No encontro com jovens, tanto Paulo Rangel como José Manuel Fernandes enalteceram o facto de o PSD ter na sua lista como número dois Lídia Pereira, indicada pela Juventude Social-Democrata, e líder da juventude do Partido Popular Europeu.

“Há aqueles que só falam de juventude e há aqueles que dão protagonismo à juventude ao colocarem a Lídia como número dois na lista do PSD”, destacou José Manuel Fernandes.

Lídia Pereira, de 27 anos, partilhou com a audiência que enchia a Casa das Artes de Famalicão a sua experiência de ter sido “uma beneficiaria direta” da União Europeia, já que participou no programa Erasmus, depois fez o mestrado fora de Portugal e teve a sua primeira experiência profissional no Luxemburgo.

“A Europa em todos os momentos da minha vida esteve sempre presente e agora quero retribuir nos próximos cinco, dez, quinze anos tudo aquilo que recebi”, afirmou.

+ notícias: Política

Costa afasta "Bloco Central" e recusa aceitar incapacidade da esquerda para visão comum

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o país.

Efacec: Marcelo quer nacionalização "quanto mais curta melhor"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou na sexta-feira que a nacionalização da Efacec não é para ser duradoura, defendendo que "quanto mais curta melhor".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.