Info

Paulo Portas vai entrar na campanha eleitoral do CDS

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 15 mai 2019 (Lusa) -- O ex-presidente do CDS-PP Paulo Portas vai entrar nos próximos dias na campanha europeia do CDS, ao lado de Nuno Melo, o cabeça de lista dos centristas, disse à Lusa fonte partidária.

Paulo Portas foi líder do partido durante 18 anos, de 1998 a 2005 e de 2007 a 2016, e quando abandonou o cargo, afastou-se da vida partidária, embora tenha prometido participar em campanhas eleitorais.

Além de Portas, que foi ministro da Defesa, dos Negócios Estrangeiros e vice-primeiro-ministro em governos PSD/CDS, também vão entrar na campanha vários ex-governantes centristas como António Pires de Lima, que já hoje esteve em Cascais, Adolfo Mesquita Nunes, até há semanas vice-presidente do partido, e o deputado Telmo Correia, acrescentou a mesma fonte.

Nuno Magalhães, líder parlamentar do CDS-PP, também vai participar em ações de campanha eleitoral no distrito pelo qual é eleito, Setúbal.

A campanha eleitoral oficial para as europeias de 26 de maio em Portugal decorre entre 13 e 24 de maio e às eleições apresentam-se 17 candidaturas, entre partidos e coligações. Portugal elege 21 deputados ao Parlamento Europeu.

NS // LIL

Lusa/fim

+ notícias: Política

Rio não responde a críticas internas porque não tem de dialogar para dentro do PSD

O presidente do PSD, Rui Rio, desvalorizou hoje as críticas internas de concelhias sociais-democratas, dizendo que a sua função é a de “dialogar para fora e não para dentro” do partido.

Autarca de freguesia de Ponte de Lima demite-se após arranque de central de betuminoso

O presidente da Junta de Arcozelo, Ponte de Lima, disse esta quarta-feira ter apresentado a demissão na sequência do início de produção de uma central de betuminoso, considerando que irá "transformar a freguesia no caixote do lixo industrial do concelho".

Atualizado 21-08-2019 16:14

Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas diz que Antram não quis evitar possível greve "por 50 euros"

O advogado do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, disse hoje à saída de uma reunião com o Governo que a Antram "não quis evitar uma possível greve por 50 euros".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.