Info

Missão da CPLP à Guiné-Equatorial cancelada tem nova data de 05 a 07 de junho

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 mai 2019 (Lusa) - A missão da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) à Guiné-Equatorial tem nova data marcada - de 05 a 07 de junho -, após a anterior ter sido cancelada a pedido de Malabo, disse hoje fonte da organização.

"A visita que estava para se realizar a 08, 09 e 10 de maio em Malabo [capital da Guiné-Equatorial] já tem uma nova data: 05, 06 e 07 de junho", afirmou à Lusa fonte do secretariado-executivo, adiantando que estas foram propostas pelo Governo da Guiné-Equatorial no dia 08 de maio, dia em que deviam começar as reuniões em Malabo.

De acordo com o secretariado executivo da CPLP, o Governo liderado por Teodoro Obiang Mguema Mbasogo justificou o cancelamento da visita da comissão técnica, à última hora, ou seja na data em que alguns elementos já viajavam para aquele país, "por não ter conseguido reunir as condições para o desenrolar da missão".

"Não nos pareceu uma questão política", sublinhou.

A mesma fonte adiantou que a Guiné-Equatorial terá justificado este adiamento pelo facto de a Assembleia Nacional do país ter convocado o Governo para um debate, o que impedia alguns ministros, que deveriam reunir-se com elementos da comissão técnica de avaliação da CPLP, de terem disponibilidade para tal.

O jornal Público noticiou este domingo que o Governo da Guiné Equatorial adiou a visita de uma missão técnica da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) a Malabo no próprio dia em que, dos quatro cantos do mundo, diplomatas e peritos se preparavam para a viagem aquele país.

A missão seria liderada pelo embaixador José Luís Monteiro, de Cabo Verde, país que tem a presidência rotativa da CPLP até 2020 ---, e incluía 18 pessoas, entre as quais técnicos da língua, património, cooperação e questões jurídicas.

Mas na véspera do início da visita, a embaixada da Guiné Equatorial em Portugal informou a CPLP, cuja sede é em Lisboa, que as autoridades equato-guineenses deram instruções para adiar a visita, adiantava o Público este fim de semana.

Esta é a primeira missão técnica global para avaliar o que a Guiné Equatorial está a cumprir relativamente aos compromissos que assumiu em 2014, aquando da sua adesão como Estado-membro da CPLP.

Ainda segundo o jornal Público, nas últimas semanas, alguns governos estranharam o facto de Malabo não ter chegado a enviar um plano das reuniões organizadas para a missão agora adiada.

O mistro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, contactado então pelo Público limitou-se a dizer que Portugal espera "uma remarcação" da data.

A comissão técnica da CPLP tinha entre outros objetivos avaliar o que a Guiné Equatorial fez em termos de ensino da língua portuguesa e na adoção da carta de constituição da CPLP, os estatutos e todos os documentos da comunidade, o que engloba a questão dos direitos humanos e a abolição da pena de morte, que, segundo as autoridades equato-guineenses, tem uma moratória desde 2014.

Para o embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, que é também representante do seu país junto da CPLP, "não terá havido nenhum motivo político", para o cancelamento da reunião anterior. Em declarações à Lusa, Eurico Monteiro considerou ainda que "este adiamento vai permitir a ambas as partes preparar melhor as condições da visita, podendo esta ter melhores resultados".

Segundo o diplomata cabo-verdiano, o adiamento também não impede que as recomendações que venham desta visita sejam analisadas e debatidas na reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros da CPLP, em julho, em Cabo Verde.

ATR // JH

Lusa/ Fim

+ notícias: Mundo

Termina sequestro em autocarro no Rio de Janeiro, suspeito morto pela polícia

O sequestro dos passageiros de um autocarro na ponte que liga a cidade brasileira do Rio de Janeiro e Niterói terminou cerca das 09h00 locais (13h00 em Lisboa) com a morte do suspeito, informou a Polícia Militar.

Twitter bane propaganda dos 'media' controlados pelo Estado após suspender contas associadas à China

A rede social Twitter informou esta terça-feira que não aceitará mais "propaganda de órgãos de imprensa controlados pelo Estado", condenando comportamentos "manipuladores", depois de anunciar que suspendeu quase mil contas associadas ao regime chinês.

Quatro mil pessoas retiradas de casa devido a incêndio na Grã Canária, Espanha

Um incêndio florestal que lavra desde sábado em Valleseco, na ilha espanhola Grã Canária, obrigou à retirada de quatro mil pessoas de 40 localidades, informou este domingo o presidente do Governo das Ilhas Canárias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.